sexta-feira, 29 de abril de 2016

Decisões

Doces lembranças das estradas de barro nos lugares mais distantes,
Dos sertões, dos cerrados, dos cantões...
Das flores coloridas,
Do sol, da luz...
Do suor...
A vida as vezes é assim,
Uma estrada que a gente decide para onde quer olhar,
O que deseja lembrar.

Estrada da vida

Uma estrada vazia e suas direções,
Qual delas seguir?
As cercas,
As árvores,
O horizonte repleto de paisagens.
Cada um segue uma direção,
Cada um busca um sentido,
Sol, chuva, pedras soltas,
Desilusão...
O vento,
A manhã costuma nos animar
Assim como o entardecer,
E descansar a noite para seguir em diante,
Sempre seguir em diante.
Mesmo que grande parte estejamos viajando só.
E quando cai o entardecer...
Que sentido buscaremos amanhã?

terça-feira, 26 de abril de 2016

Ninar

Noite enluarada,
De sapo a coaxar,
Noite bela embalada,
No escuro, estrelas a piscar,
Nesse embalo,
Noite a dentro,
Durmo como uma criança na mais linda infância,
A embalar os sonhos,
E a crescer na vida.

domingo, 24 de abril de 2016

Lua de abril

A lua de abril,
Lina a noite abriu,
Plenilúnea,
A noite alumiou,
Neste domingo,
Dia 24 quatro de abril
De dois mil e desesseis,
Que se vai,
Amanhã já se foi...
É assim
Que linda a lua de abril.

Caminho

Cada momento,
Cada impar momento é único.
Por que é tão difícil compreender essa realidade?
Mesmo diante desta afirmação somos tomados por tristeza, por angustia e por depressão?
Se tudo pode ser diferente a maneira como reagimos e aceitamos a realidade...
Tudo pode mudar, pode transformar sua vida.
Tem a matéria necessária para sua metamorfose.
Não me cabe listar...
Porque qualquer qualquer afirmação que faça será subjetiva.
A vida me aponta a leitura e arte para driblar estes momentos insólitos
Matéria de reflexão.
Acordar e executar exatamente o que foi feito ontem... um mito de Sísifo.
Não, cada momento é ímpar,
Cada momento é volátil e é como o calor perdido para o universo.
Como pretende viver?
Como encontrar uma resposta?
Talvez não exista resposta.
Talvez é só uma forma de cristalizar o momento.
Sabe lá.

Matéria e reflexão

A natureza, a luz produzida pelo sol, o dia, a noite, a matéria, as formas, a vida.

O externo que me impressiona a luz, o vento, o odor, a temperatura.

Quando perco a vontade de interagir o que devo fazer?

Ler?

Dormir?

Sair?

Falta um propósito,

Uma fé...

Uma meta.

Sabe lá.

Ah, a solidão é matéria rica para a reflexão.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Viver! Eh!

Amanhecer,
Poder desfrutar de um momento de paz,
A vida,
Nosso cotidiano,
Nosso trabalho,
Esse caos...
Essa correria,
Cadê tempo para nossa vida?
Calor,
Sede,
Impaciência,
Suor...
Eh...
Ganhar,
Perder.
No final viver é mágico.

terça-feira, 19 de abril de 2016

A chuva

A chuva chovendo é tão bela,
Quando a gente está protegido,
É tão gostoso tomar um chá
E contemplar e ouvir e sentir
O frescor da chuva...
A chuva nos traz a realidade,
A gente vive bem o presente,
A chuva chovendo,
A manhã ocorrendo...

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Cada segundo

Cada segundo
Cada segundo em nossa vida é raro e caro,
Pois pagamos nossa vida com nossa existência,
Pois sabemos que estamos sempre envelhecendo até a morte.
Se sabemos de tudo isso, por que ainda perdemos nosso precioso tempo com coisas ruins?
Sentimos na carne o desejo da presença de quem amamos,
Queríamos que todos estivessem sempre ao nosso lado,
Avós, tios, pais e irmãos todos sempre presente,
Queríamos ver sempre a felicidade estampada em seus rostos,
A felicidade em nossa alma...
Mas viver é lutar e em batalhas se pode perder.
E as pessoas partem, podem partir a cada segundo, inclusive nós mesmo.
E o tempo vai nos dobrando,
Tudo que queríamos era eternizar o presente ou esquece-lo imediatamente.
Um abraço, um beijo...
A gente só descobre o amor com o tempo,
A gente não vigia a vida
E quando nos olhamos no espelho. Ai! que fiz eu de minha vida?
E cada segundo,
Cada raro segundo,
O que temos mesmo?

Distinto

Após a chuva sempre aparece o sol.
Majestoso brilha intensamente,
De madrugada ventava forte,
Agora suave a brisa faz os ramos acenarem
Adeus a chuva,
Hoje vai acontecer como deve,
Mas amanhã poderá ser diferente.

domingo, 17 de abril de 2016

Imaginar

Não nascemos pássaros para voar,
Sequer somos leves e aerodinâmicos como as borboletas,
Ou as abelhas ou os besouros ou os morcegos,
Não nascemos sequer com asas no entanto,
Aprendemos a voar...
Às vezes me ponho a imaginar,
E quando imagino posso tudo...
Posso ir além da física,
Mesmo conhecendo seus princípios,
Tudo é uma questão de imaginar...
Imagino que agora estou feliz.

Matéria

Matéria,
A luz de uma estrela que alumia,
Um filamento de tungstênio,
O odor que se desprende das flores,
Da comida caliente,
O frio ou o calor,
A chuva que se desprende das nuvens,
As aves que cantam...
Essa presente existência organizada,
O tempo que a tudo desfaz.
Quem pensa que pode algo,
Ah, que pobre é esse ser...
Que pobre esse ser,
Somente podemos nos impressionar,
E muitas vezes nos iludir,
Porque tudo, absolutamente tudo não pode ter controle...
Somente podemos contemplar
O quanto o momento durar.

Ocaso

Um domingo de chuva,
O tempo é o mesmo,
Mas o silêncio vazio e mim,
Algo que me custa dominar
O  medo da solidão
E esse mundo oco...
As coisas perdem o sabor,
As cores,
O sentido,
Até que!
Bom nada vai acontecer de fabuloso,
Então é curtir
A presença da saúde,
Que dia maravilhosos
Esses dias comuns.

sábado, 16 de abril de 2016

zig-zaguendo

A  manhã que se acende,
E alumia todo o mundo,
Imenso mundo, claro sol.
Hoje as nuvens ocultaram o sol,
Desprende sobre a terra uma tênue chuva.
Está nublado, tudo molhado.
Há dias que perdemos as referências de nós
E até nos questionamos sobre quem somos nós?
Nos é estranho a chuva, ou o sol, ou o céu...
Há dias assim, deveras...
Dias que nos pegamos angustiados
Por não entendermos as confusões que há no mundo.
Deveras angustia o embaralhamento do mundo,
O caos que se faz em nosso ser.
Viver é uma dádiva e por isso mesmo complexo,
Não sabemos nada sobre nossa existência...
É tão subjetiva essa experiência
Que cabe a cada uma sua experiência,
A mim, gosto de muitas coisas,
E sigo vivendo nesta manhã de sábado chuvosa.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Saltitar

Entre tantas coisas para viver,
O simples me faz ser
Feliz por um triz,
Sabe lá!
A chuva,
O vento,
O invento...
Uma breve poesia.
Alegria,
Manuel de Barros,
Mané mago.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Estrelada

A noite estrelada,
Escura e estrelada,
O silêncio, grilos cantando,
E dentro da gente há um estado de surdez,
E a gente pensa coisas sérias como nossa existência existe.
Sartre discutia sobre,
Aristóteles e Kant
E Borges escrevia sobre tudo em seus contos.
Eu,
Que sou, o que penso que sou?
Pouco interessa.
Melhor continuar contemplando a noite.

O tempo apaga tudo

Viver!
Quem sou?
De onde vim?
Para onde vou?

A vida vai se revelando, desencadeando cada momento em minha vida.
Os sete véus de Ísis são revelados.

O tempo passa e as coisas ganham nome,
Os lugares existem extra imaginação,
E encontro no meu interior uma maneira de viver o mundo.

Nas matas secas, após as chuvas, todo verde,
Toda a biologia existente em qualquer lugar,

O conhecimento, o domínio de conceitos,
A compreensão da existência...

Custa a chegar né...
E ai a gente percebe que poderia ter levado menos a sério as coisas.

Vivido mais as coisas simples,
Mas o tempo leva tudo...

terça-feira, 5 de abril de 2016

Reproduzir

Uma manhã,
Uma mata,
Tudo parece estático,
Exceto a luz do sol,
Exceto as plantas e as bactérias e os fungos,
Exceto o que é vivo...
Uma cigarra voa para a boca de uma lagartixa,
Ramos se movem,
Através da mata a mata,
Tudo pode fazer sentido,
Ou ser um caos total.
Que sabe?
Quem sabe qual será o último momento?

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Manhã

Primeiro aurora quem ti viu,
De azul especular, a lua crescente,
Cresce como um ovo a chocar,
Como ramos a crescer.
Disperso no mundo,
Preso ao que vejo
Ao que penso...
Não te vejo querida manhã,
Flores desabrocham,
A mata parece dormir...
E o que de mais lindo há.
Árvores a gotejar.

domingo, 3 de abril de 2016

Todos

E mais um dia se passa,
Há aqueles que tem apenas o segundo dia da vida,
Há aqueles que será o último,
Há aqueles que ainda viverão muito,
Todos viverão seus dias,
E vivemos o que nos é dado,
Veja bem! Pode está quase sem créditos com a vida.
O amanhã pode não chegar,
Então seja feliz sempre no presente momento,
A menos,
A menos que mais um tenha partido no momento presente.