terça-feira, 29 de março de 2016

Ser sertão

Adeus março que se vai,
Fui visitar o meu sertão,
Nesta intensa estação,
A pascoa sendo celebrada,
No meu querido sertão,
Ele esta tão triste, tão seco,
Folhas pelo chão,
Os troncos cinza, coberto de folhas murchas,
Gado já não existe não,
Nem poeira,
Apenas casas fechadas,
Cactos espinhosos,
E urtiga cançansão.
A noite plena e estrelada,
Manhã suave com cantarolada,
Vou e volto,
Mas meu coração...
Meus pais,
E avós e nova geração.
O sertão me define,
Sou tudo isso.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário