segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Paixão

Longe dos olhos,
Longe de mim,
Tu estás tão distante,
Meu peito palpita
Se sei que posso te encontrar,
Se posso ouvir tua voz,
Não te vejo,
Não sinto seu beijo,
Estou sem desejo,
Feito um cometa
Em orbita errante,
Ah...
Enquanto não morre
Esse paixão,
Sofre coração.

domingo, 29 de novembro de 2015

Aurora jasminoide

Uma  manhã de domingo,
Como tantas outras manhãs
Ensolaradas e radiantes,
As vezes em momentos como estes,
Estamos a sós.
A gente sempre procura algo pra disfarçar a solidão,
E muitas vezes nem estamos só.
A verdade é que algo nos falta,
A verdade que essa falta angustia.
O que nos falta?
Uma paixão, uma meta, Deus...
Nesses momentos a gente pensa na vida mais intensamente.
E só, descobrimos a importância do outro em nossas vidas.
E a graça de tudo é que temos irmãos que escolhemos
Os amigos.
Tive o prazer de conhecer uma pessoa maravilhosa,
De olhar tímido e riso livre,
Doce e muito perspicaz,
Que se revela cada dia mais admirável,
Inteligente e interessante,
Um jasmim em antese,
De flores cândidas e perfumadas,
Encantadora, apaixonante,
...
Linda flor Regina,
Sois o sol de feriado numa praia paradisíaca.
Alguém que preenche uma manhã de domingo.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Luar

E uma noite dessas,
Tão clara, tão enluarada,
As estrelas mais distantes,
Se ocultam só para verem a lua reinar.

Noite bela e inundada da cor prateada,
Da luz especular
Lua prateada lunar,

João Pessoa abençoada,
Cheia de luz,
De vida,
De existência.

Lá se vai

Fim de mês,
Fim de ano,
A tarde surda,
Sem som
De gente conversando,
Criança brincando,
Pássaros cantando,
Só o silêncio do tempo,
Só o eco de memórias,
O silêncio,
Solto no ar,
O tempo em pó,
E a tarde que cai,
Tem o sol partindo pelo poente,
E a luz rasgada nos ramos das árvores,
Se vai o dia, o mês e o ano.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Esperança

O que se entende do mundo,
Se compreende de desejo,
Se compreende de paixão,
Se compreende de dor,
Se compreende de momentos,
Pessoas fortes,  pessoas fracas,
Fé...
Esperança...
Um novo amanhã raiará após a noite de hoje,
E sempre raiará,
Não podemos perder as esperanças,
Uma palavra dita nunca volta atrás,
Autoconfiança,
A vida continua a pulsar,
A existência persiste até o fim,
E no fim,
Vale a pena,
Vale a pena,
A existência é superior a inexistência.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Alívio

Cansaço
Após o limite,
Aflora o cansaço
E tudo perde o encanto,
Exceto a cama,
O travesseiro,
O colchão...
Após a batalha,
Resta o suor e o sono,
Após a leitura de uma longa obra,
Vem a saudade,
Após vencida a batalha,
O alívio...

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Corrente abstrata

Um sol,
Sob um sol,
Uma manhã,
Uma tarde,
Meio dia,
O dia,
Algo encantador,
Algo desolador,
Borboletas bailando no ar,
Voam leves,
Bailarinas encantando o vento,
Fugindo do tempo,
Riacho escorrendo,
O brilho transparente,
Puro castanho da areia,
Teia de aranha,
Flor de marmeleiro,
Perfume de mufumbo,
Algo faz sentido a alguém,
Ou é pura abstração.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Limites

Limites,
Além de onde consigo ver,
Além de onde possa ouvir,
Além de onde possa cheirar,
Além da percepção,
O amanhecer, o entardecer, o anoitecer,
Ciclicamente se repetem,
E nós, nos perdemos,
Se não conectamos e não percebemos
As relações. Tudo é tudo e nada é nada.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Paixão ao inverso

Que em mim me implode?
Que em mim me explode?
Emoção,
Paixão,
Ciúmes,
Medo,
Dor,
Fraqueza,
Dúvidas,
Incertezas,
Tudo isso num coração cheio de paixão.
Quem não sofre desse mal?

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Descanso

O descanso,
Rejuvenesce,
Alma,
Noite,
Sono,
Sonho.

Caos tropical

Sol a pino,
Pente fino,
Calor, luz e suor,
Tudo que me incomoda, me provoca,
Destroi-me e constroi-me,
Ontem, hoje... E a incerteza do amanhã.
Que hei de encontrar,
Espero ser quem sou,
Amém.

domingo, 15 de novembro de 2015

Consumir

Que ocultas vida?
Bons ou maus presságios.
Se bons que esteja pronto para a alegria,
Se maus, Deus dai-me força.
Noite, dia,
Lua cheia, minguante, crescente ou nova...
Tempo intermitente,
Passa sem parar,
Os grãos de areia da ampulheta,
O tempo que escorre
Como o vento,
E nossa alma se humaniza.
Vivendo descobriremos,
Consumiremos nossa vida.

sábado, 14 de novembro de 2015

Tentação

Noite,
Noite profana,
Noite insana,
Noite,
Noite faceira,
Perfumada espirradeira,
D'alvas flores,
Deliciosos odores,
A noite é sua apoteose,
A noite quem sabe se nos encontraremos
Em meus sonhos,
Uma noite a mim,
Só tenho olhos para o sono,
E me perco
E me ordeno,
E sou o que sou.

Moer

O moinho,
O milho,
Braços a trabalhar,
Aço a moer,
O fruto seco,
A farinha,
A conversa,
Para moer é sempre bom está acompanhado,
Moinho emprestado,
Um canto fixo,
Moe,
Tudo se foi é passado.

Fogo

Fogo que aquece,
Suavemente amolece,
Ferver, dilatar, fundir,
Mudar de estado,
Cozinhar,
Alterar,
Relações,
Calor,
Luz,
Cor,
Cheiro evidente,
Dilatação,
Instante infinito,
Último respirar.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Algo passado

Perdido no tempo,
Imerso no cotidiano
Que se faz e desfaz
No ontem, no hoje,
Amanhã quem sabe?
Aquela rotina que se desfez,
Ir de lá pra cá,
De está juntos,
De observar seu lindo batom,
Cachos loiros,
Allstar,
Feijoada,
Cinema,
Beijos...
Ver e sentir o tempo passar,
Acompanhado,
Algo passado.

Trans

As vezes a gente não quer o silêncio,
Não quer está só,
As vezes a gente pensa na solidão,
Pensar é está doente dos olhos dizia Pessoa,
As vezes, meu Deus,
Parece que tudo perdeu sentido,
Mas num golpe de vista tudo muda,
Tudo muda para melhor
ou não.

Sem direção

As vezes perdemos o mais precioso a razão,
Tentamos nos resguardar no futuro ou no passado,
Mas onde fica o presente?
Nossos anseios, nossos desejos, nossos medos...
Perde-se a razão por se viver na imaginação.
Mas é preciso despertar do sonho que é a paixão,
É preciso se curar.
É preciso encontrar uma direção.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Errante

Um lugar,
Uma paisagem,
Um encontro,
Flores perfumadas desabrochando,
A luz tênue da manhã,
A brisa,
Areia fina,
Ervas, lianas,
Caminhar,
Respirar,
Ser...
Eis o universo,
Eis o ser.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Rimando

Suave movimento,
Som,
Folhas chiando,
Nos ramos,
No não,
Tom verde, ocre, rufo,
O perfume doce e branco da guetarda,
Na manhã que se doa ao sol.
Dia dia...
Breve poesia.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Caos

Faz-se o caos,
Faz-se o caos em minha vida,
Como um furacão,
Tudo se desarruma,
Tudo se desorganiza,
Livros de literatura,
Filosofia, botânica...
Quero mostrar o mundo.
Pipocas,
Um chá,
Forró que dor,
Esse caos que vem e vai,
Perfume de mufumbo,
No fundo,
É tudo tão bom,
Diferente...

Angústia

O tempo, ah o tempo...
Dias de sol e vento,
Tristes e maus tormentos,
O que me aflige?
É o medo.
Medo do tempo ido,
Do dia vivido,
Do passado longo,
Medo da eterna angústia,
Da falta de astúcia.

Ah, o tempo,
Ah, memórias...
Ser esse ser.

Borges, Pessoa,
Nietzsche,
Faróis em dia de névoa...
Espantalhos da solidão.

Materialismo

Penar,
Agir,
Criar,
Qual nossa intenção como ser?
Amanhece e desperto para a vida,
Não é mais um dia, mas o dia,
A possibilidade,
De ser diferente,
De sair da mente,
De materializar o impossível,
De ser além do humano,
Tudo isso numa vida.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Disseram-me

Ah,
Cada dia,
Cada dia que passa,
Uma nova descoberta,
Um poema,
Versos,
Uma música,
Uma história,
O desenrolar de uma situação,
Aprendizagem,
Experiência,
O tempo,
Borges,
Gogh,
Esquisofrenia...

Uma amiga me falou que todos os grandes eram esquisofreÊnicos...
Será...

Que isso importa.

Bossa nova.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Tentativa

Quão passageira é uma estação,
A primavera se enfeita de flores,
Se perfuma se enche de cores,
Depois as flores deitam-se no chão,

Tenho deitado flores pelo chão,
Tenho feito coisas que não deveria,
Tanta coisa nessa vida poderia,
Ter feito mais ou menos não?

Tentativas e mais tentativas em vão,
Ah, essa vida, essa vida cadê alegria,
Não sei, falta-me de longe expressão,

Mas a manhã tudo vai voltar a brilhar,
Sabe lá,
Sabe lá.

Caminho

Suave cai a tarde,
O vento sopra leve,
E faz as árvores balançar,
Faz as folhas chiarem
O som do além,
Aqui no aquém,
Incerto dia a se passar,
Algo em mim sorri,
Algo em mim falta,
Essa existência,
A graça de ser,
De ter um guia,
Deus.

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Sem perceber

O dia,
Silêncio,
A noite,
Risos amigos,
Um bom papo,
A noite perfeita,
A vida perfeita,
Com seus altos e baixos,
Suas veredas,
Becos e esquinas,
E assim passam os anos,
A vida,
Sem percebermos.

domingo, 1 de novembro de 2015

Aniversário

Os anos,
Os anos passam,
Passam sem parar,
Passam por passar,
Hão de contar nossa história,
Alegrias, dores e glórias,
Ontem existiu,
Hoje possibilidade,
Amanhã incerto,
E a vida passa.