sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Viver

Viver,
A vida se passa cotidianamente.
Horas sucedendo horas, dias sucedendo dias.
A vida se passa rotineira mente,
do nascer do sol ao luar,
o crepúsculo matinal, aurora,
ao crepúsculo terminal.
A vida se passa a cada estação,
a vida se renova através da paixão, do amor.
A vida se renova através de cada flor.
A vida e o seu sentido é como uma longa
corrente em quem na sucessão de avó para pai,
de pai para filho, os fatos caem
no esquecimento, mas o saber
vai crescendo a cada geração...
A vida vale tanta coisa
e tudo que nela ocorre
são elos que compõem
sua corrente,
viver é tudo,
morrer nada.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Lua

Noite escura noite,
Noite de lua cheia...
mas cadê a lua?
Não apareceu na rua.
Ah, lua cheia,
ah, vida cheia...
Não faço tudo,
não faço nada.
Sou o que faço,
quase sempre nada.
Como a lua tenho
fazes...
Hoje a lua está
cheia,
mas parece escura.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Na noite

E  quando a noite chegar
quero descansar...
Vejo meu tempo passar,
e não vivo para mim,
não vivo um viver,
vivo em função de objetivos....
Ah, quero descansar a noite,
quero ler, quero dormir...
mais nada.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Crepúsculo

É tarde finda.
O sol já sumiu,
mas ainda  vejo sua luz.
Ainda posso ver sua luz
encarnada.
Vejo de minha janela,
nuvens tingidas de encarnadas,
acesas feito brasa.
Brasa de um dia longo
que se apaga.
Se apaga a luz,
se apaga o calor,
nem chuva,
nem luz...
Os fatos do dia
estão consumados
e o dia apagado.
Só resta a luz embrasada
que vai apagando,
lentamente,
feito brasa,
mais nada.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A chuva

É tarde,
a chuva chove sem parar,
chove forte,
chove vinda do poente.
A chuva chovendo canta,
é um canto tão doce
que até as aves calam
só para ouvir
a chuva cantar...
O vento que acompanha
a chuva não apareceu...
Ainda bem!
A chuva chove
e deixa esta tarde de segunda
mais viva,
mais feliz...
Tão doce quanto flore de jasmim.

domingo, 25 de novembro de 2012

O dia passou

E o dia passou
e a noite chegou,
e se passou mais um dia
na vida.
E neste dia me senti tão só.
Feliz? talvez ou não.
Domingo...
Tudo se passou como sempre se passa,
os lugares são outros,
as pessoas, os hábitos...
O dia passou...

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Caos

As vezes me sinto atribulado, amedrontado.
Mas de que me adianta estes sentimentos?
O medo é inerente ao ser humano,
então só poderei ser mais ou menos medroso.
As vezes parece até que perdi as esperanças,
ainda bem que os humores mudam,
ainda bem que as coisas acontecem
e a vida continua de qualquer forma
então pra que se atribular e temer?

O lago


O lago no fim da tarde estava tão tranquilo
que suas águas pareciam um imenso espelho.
Não vemos nada no seu fundo,
mas o peixes ali nada.
Em suas bordas pessoas
caminham,
em suas bordas aves e homens
pescam.
A luz do sol se vai
e o escuro da noite
cobre com seu 
mando escuro e frio
as águas do lago...
As luzes são refletidas
nas águas do lago
e se foi mais um dia
em que guardei em mim
um pouco do lago
um pouco do nada.

A chuva

A chuva chegou
na tarde,
levou o calor,
levou o sol
e trouxe tanta coisa,
trouxe o som
dos pingos,
o som das águas,
trouxe alegria.
A chuva chovia 
na tarde.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

A tarde

É tarde quase noite
o céu nublado
e o sol já partiu.
Tudo é silêncio,
nem mesmo uma coruja canta.
A natureza toda se recolheu.
Mas para nós, seres humanos,
estamos condenados a trabalhar,
a estudar, a produzir...
Queria ler um livro,
mas quem disse que posso,
pois tenho que estudar,
sabe lá pra que!
Fazer o que gosta no lugar que gosta?
Queria agora ouvir o canto do bacurau.
Bem, mais uma tarde vai passar,
outras seguirão pela eternidade,
mas qualquer dia posso dormir
e as tardes continuarão.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Estações

As flores desabrocham belas e perfumadas.
Flores de flamboiã, de baru, de sesbania,
de ipomoea...
Plântulas crescem do chão.
Depois da chuva a poeira apaga
e a lama tinge as calçadas...
É época de chuva,
é época de ver a chuva cair,
pela manhã, a tarde toda
ou ouvir a  noite...
Flores, mais tarde frutos,
mas tarde sementes,
verão e chuva,
como um rio segue o curso
as estações seguem
suas situações.

domingo, 18 de novembro de 2012

A natureza

A natureza é tão maravilhosa e bela.
Como é bom poder observá-la
e senti-la. Perceber que fazemos
parte dela.
O céu azul ensolarado,
a chuva, o dia e a noite.
Os animais e as plantas,
as rochas...
E nós que damos um sentido
além da existência.
Criamos tantas coisas
para dar mais significado a vida
que é natureza...
Somos um cosmo
indecifrável
como a natureza que até pode
ser descrita,
mas nunca completamente desvendada.
A natureza se diluí e se dissolve
em energia
e mais nada.

Esperança


A vida sem esperança é uma agonia.
Como seria acordar e não espera
que algo bom aconteça.
Como seria olhar para o futuro
e não ter  o mínimo de esperança?
Desde o nascer ao por do sol,
temos que ter esperanças.
Esperança de tempos melhores.
A esperança e os sinais de que tudo pode ficar
melhor nos faz sentirmos felizes.
Algumas pessoas cultivam grandes esperanças
enquanto outras são modestas. Que assim seja.
Já não basta a vida ser curta, já não basta
muitas vezes vivermos infelizes e com medo...
Se a esperança foi a única coisa que sobrou
da caixa de pandora e se é a única coisa que temos,
então que tenhamos esperança. Porque a vida é breve. Porque a vida é breve. Porque ao vivermos, vemos as nossas histórias e percebemos as histórias dos outros.
Sem esperança, tudo seria mais sofrimento.

sábado, 17 de novembro de 2012

Quase meia noite

É noite,
noite de sábado.
Tudo é silêncio,
tudo é escuro.
O eco do  mundo,
o silêncio surdo da noite.
O vazio em meus pensamentos.
O tempo...o presente,
memórias do passado,
perspectivas do futuro...
O silêncio solitário da noite.
O vento passa,
a vida passa,
mais nada.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

O silêncio

Silêncio
http://www.youtube.com/watch?v=39DNaNAMKAU

O silêncio nos incomoda, pois quando nascemos o silêncio é quebrado.
E por muito tempo o silêncio fica adormecido dentro de nós,
mas ele aos poucos vai revivendo dentro de nós.
E vai nos revelando sobre a vida...
Até que toma conta de nós completamente,
até que somos esquecidos...
E o silêncio reina completamente.

Partida

Pessoas morrem todos os dias. Mas quando são pessoas muito próximas, de quem gostamos, sentimos uma grande perca. No decorrer da idade, quando nos tornamos adultos percebemos que os adultos de nossa infância se tornaram idosos e aos poucos partem. E na idade adulta passamos a entender mais a vida. Celebramos os nascimentos de nossos filhos e choramos a morte de nossos entes queridos. A morte é um mistério indecifrável. Hoje que vejo os amigos dos meus pais partindo, vejo o lugar onde parti diferente, habitado por pessoas que não conheço, sinto que parte de mim também está sumindo. Restam pedras, vegetação e memórias. Elita e Joazinho de Licor sempre foram parte da família, mesmo não sendo do mesmo sangue. Eles nos viram crescer naquele sítio de cajus e areia branca. Conhecia-os desde que me entendo por gente, sempre percebi um clima de forte amizade entre eles e meus pais. Desde que sai de casa em 2000 sempre que voltava para visitar meus pais, recebia a gratificante visita do casal. Este casal que sempre desejou tudo de bom para nós. Agora partiram ambos. Primeiro foi Joaozinho e ontem Elita adormeceu eternamente... Que vá em paz. Amém...

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

A gente cresce

A gente cresce.
Chega o dia que a gente cresce.
Chega o dia que partimos e temos que deixar
tudo para trás e recomeçar a vida.
Vi muito os filhos serem separados dos pais
para tentar a vida lá fora...
Senti isso na carne meus irmãos
como cipselas partindo do capítulo,
primeiro foi um, e foi seguindo,
fui o último a partir
e hoje vejo pessoas partindo.
É doloroso recomeçar.
Mas é bom quando se quer recomeçar
e trás consigo esperança,
a esperança de que tudo vai melhorar.
Tomamos em nossas mãos a
propriedade de nossas vidas.
A gente cresce e nem percebe.
E a vida passa.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Silenciosa

Silenciosa chega a manhã.
Chove devagar,
ou melhor neblina.
Pingos, gotas caem 
das folhas.
As flores estão banhadas.
Do céu cinza pinga,
pingos suaves,
que banham a manhã,
está linda manhã
que antecede o feriado.
E a vida continua
silenciosa.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Cotidiano

Após o dia,
após mais um dia,
uns dormem, outros se divertem,
alguns nasceram e outros morreram.
E a história continuará seu desfecho.
O nosso cotidiano
as vezes parece tão medíocre,
mas é nele que temos que apegar,
pois é só ele que temos...
Tudo que temos
se passa no instante presente,
o eterno vir a ser.
Tudo que temos
não nos pertence,
pois nos é apenas emprestado,
nossa infância,
nossa juventude,
nossas forças,
nossas saúde,
temos, mas não sabemos até quando...
Felizes os que nascem e crescem
na graça de ter uma família,
casa e um cotidiano besta.
Porque quem não o teve,
adoraria ter,
para ser feliz.

domingo, 11 de novembro de 2012

A vida

Moiras=deusas que traçam o fio do destino

Que viver é uma arte, todos já sabemos.
Saber viver feliz é o que cultivamos diariamente.
No entanto não é possível ser sempre feliz. 
Aprender a viver bem é muito difícil, 
pois a vida tem seus labirintos, 
faces ocultas que não sabemos
como contornaremos
ou encararemos.
A vida se revela de forma diferente cada pessoas,
embora tenhamos experiências que nos norteie. 
O desfecho de cada história toma um rumo que lhe convém, 
muito embora possamos imaginar o que pode acontecer, 
mas não sabemos o que vai acontecer.

Fernando pessoa no seu maravilhoso poema TABACARIA,
cunhou uma frase maravilhosa.


"Sempre o impossível tão estúpido como o real".

É nesta frase que muitas vezes tento me apoiar diante das dificuldades:

"Sempre o impossível tão estúpido como o real".

Porque na vida muitas coisas não tem explicação.

E a sorte pode acontecer!


sábado, 10 de novembro de 2012

Após a noite

Após uma noite de chuva
o sol sempre aparece.
E quanto mais cedo ele surge,
mais viva parecem as ervas.
O solo perde a umidade.
Flores desabrocham tão plenas.
Quantos milhões de anos
isto já não aconteceu...
Mas fomos nós que demos
sentido aos dias
que se sucedem noites de chuva.
A vida é tão curta
para não curtir
os dias após a chuva.
A vida é tão curta,
embora muitas vezes
os momentos possam parecer
eternos ou ínfimos.

Ah, como é bom poder
ver, ouvir, sentir
a presença de um dia
após uma noite de chuva.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Chuva de inverno

Após chover a poeira apaga,
as sementes germinam,
os arbustos se vestem de folhas.
Após a chuva tudo fica verde,
e limpo e vivo.
Tanajura a voar,
sapo a coachar,
e os meninos a correr.
A vida a se refazer
e desfazer...
Tudo segue o movimento,
o tempo...
Chuva de inverno.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Noite de chuva

Quando é noite e chove, 
os pingos das goteiras
se quebram no chão
e ecoam em nossa alma.
Os pingos da chuva noturna,
não são transparentes,
são escuros e não são
silenciosos, cantam
para nossas almas.
A chuva tem o poder
de nos fazer adormecer.
Pingos caídos do céu escuro,
pingos de água fria, gelada
que caem e cantam e escorrem.
Pingos que inibem o cheiro noturno das flores brancas,
que faz as pessoas dormirem em paz,
que esfriam a noite de verão...
Quando é noite de chuva,
ah, minha cama cai como uma luva,
Durmo bem e feliz.

Estação


Após a chuva,
quando as nuvens
partem e o sol
aparece a vida
parece tão enérgica e plena.
Folhas verde viçosas
abre e se enxugam
a luz do sol.
Formigas caminham entorno do buraco.
O céu azul,
crianças alegres,
e o lago calmo, calmo.
A tarde cai deliciosa
e a vida passa alegre.
São sinais de mais uma
estação...

Manhã de chuva


A manhã de chuva é tão deliciosa.
O sol nem apareceu, os pingos 
desprendem das folhas e das flores,
o solo úmido é tão cheiroso.
As aves cantam e calam 
despreocupada com o dia.
No meu quarto, demoro
a levantar, os livros que me cercam
me chamam pra leitura,
o chá quente,
o som dos pingos da chuva.
Suave se torna o dia,
a vida parece uma poesia,
numa doce manhã de chuva.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

A mesma noite

A noite caiu nublada,
as estrelas não apareceram.
Só o escuro, a ausência
da face do sol.
A noite veio convidativa para
deitar e dormir...
Fresca e silenciosa.
Mas a vida moderna,
as luzes, a internet
e tantas coisas
para fazer,
por que se render a noite?
Sei lá, meus antepassados
o faziam
e vivam tão felizes...
As noites são as mesmas,
mas as pessoas e os hábitos
são completamente diferentes.
Chegará o dia
que seremos como
nossos antepassados
e a noite continuará a mesma.


domingo, 4 de novembro de 2012

Está de volta

Voltar a casa tão vivida,
tão amada. Rever as ruas,
as árvores as pessoas,
as construções...
Voltar a casa.
Despertar saudades,
despertar vida adormecida.
Ver as coisas
em seus lugares,
os lugares de bons
acontecidos,
momentos  maravilhosos vividos...
reviver... rememorar.
Como é bom está de volta.
Ouvir a voz e o rizo amigo,
ver as plantas queridas.
Queria voltar,
mas a vida segue seu curso,
mas a vida não dá uma
segunda chance, pois o preço
é muito caro.
A sensação de está de volta é tão
maravilhosa,
tão boa...
Estou feliz.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

São Paulo

O dia nublado e frio
é típical da capital,
típico de São Paulo.
Cidade de muita riqueza,
mas também cidade
de favelas, ruas, construções
tristes, cinzas e sujas.
Cidade onde o trânsito pára,
onde seus passageiros
são conduzido feito gado,
não se pode sequer falar,
não se pode respirar...
Uns de pé e outros
sentados...
Não se respeita
idosos ou crianças...
Quanta distância
a percorrer...
Esperar e viver,
E se cansar, não se pode
falar
aqui é a cidade mais rica,
e daí...

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Aniversário

Hoje é meu aniversário...
Os aniversários as vezes são momentos de pura reflexão.
Há quem fique feliz e quem fique triste.
Acho que estou no meio termo.
Ontem tinha 32 e hoje 33 anos...
E assim segue vida a fora,
mas com uma diferença,
com os anos, quem amamos
muitas vezes não está mais ao nossos lados.
Nossos avós, as vezes nossos pais...
O tempo e a distância se encarregam
desta separação.
Alguns partiram para outro mundo,
outro tem suas vidas.
Portanto, nem sempre teremos
quem amamos ou gostamos
ao nosso lado...
Nos aniversários...
Refletimos a realidade da vida.
Por isso é sempre bom
celebrar a vida, a saúde
o amor e as vitórias,
porque sempre
caminhamos para o fim,
sem fé ou esperança
a vida é um mar de trevas e solidão.
Viver esse dia tão belo,
dia de completude,
significativo para nós
é chegar abraçar a sabedoria,
porque tudo passa.