terça-feira, 30 de outubro de 2012

Ver e viver

Preciso aprender a ver o mundo.
Talvez se aprender a observar o mundo
possa compreender o que o compõe.
Vejo o dia e vejo a noite.
Percebo as coisas do dia
que são ocultas pela noite.
Entendo que são tantas
as possibilidades na vida.
Sei que não posso fazer tanta coisa
fisicamente, mas tenho uma mente
para sonhar, para voar, para ser o que quiser.
Posso inventar tanta coisa
para significar o meu mundo...
Temos que aprender a voar,
temos que tomar as rédeas
de nossa vida e voar.
E ver o mundo
tanto de dia quanto a noite.
Ver as cores, as formas,
sentir a vida.
É preciso ousar a viver
e ser protagonista da vida...
Entender a noite e o dia,
compreender o que se ver,
refletir e sonhar...
Ler Borges, Pessoa, Bandeira,
ou só pensar e criar como fazia
Patativa do Assaré...
Viver é conhecer.
Ver é conhecer,
mais nada.

Manhã de outubro

A noite partiu serena e fria.
A luz alumiava tenuemente a lua.
A brisa da manhã
entrou por minha janela
e me faz sentir bem.
E o sol surgiu
frágil como criança
e alumiou o dia.
O céu está tão limpo.
Outubro quase partiu,
este ano está tão quente...
Ao menos as manhãs
são frescas, vivas,
lindas...
Suave o dia começa
e a vida continua.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Cosmos

Quando o sol dobra o anglo das 15 horas aos poucos a tarde se perde, aos poucos a tarde esfria. A natureza rude do dia se dobra a mansidão da noite que esfria o mundo. Quando cai a tarde aves ativas se silenciam. E as coisas acontecem e as coisas caem no esquecimento e as objetos e a matéria ganha significado. Quando caímos em nós que somos seres construtores e nos sentimos felizes por isto...
E o tempo passa, às vezes que damos sentido a nossas vidas, nos sentimos felizes e não percebemos o passar da vida. E rememoramos tudo somente quando percebemos a natureza e percebemos no símples
porque o tempo sempre passará e as coisas acontecerão independente de nós. E assim é o cosmos.

Esperança ou sonho


A esperança se renova sempre. Como seria nossas vidas sem esperança?
Muitas coisas se revelavam para mim como símbolo de esperança. Datas comemorativas, o natal e fim de ano.
A vida é um campo a ser cultivado. Precisamos de esperança para continuarmos vivos. Precisamos de esperanças para alimentarmos nossos sonhos.
Acho que podemos pensar assim.
Perceber que tudo que planejamos é como  se víssemos nossos campos plantados florescendo. É sentir que logo poderemos colher nossos frutos. Nos enchemos de esperança quando vemos que algo está dando certo, quando percebemos as coisas fluírem. A vida é uma batalha onde vencemos muitas lutas, ou nem sempre conseguimos, mas temos objetivos maiores. Nossos sonhos são nossas maiores fontes.
E assim a vida continua. É triste perceber que investimos muita energia em algo que não vingou até nos frustamos, mas a vida nos ensina que tudo isso irá nos tornar experientes.
Trabalhe em seu campo e cultivará boa colheitas.

Glória a Deus!?


Somos seres superiores?
Não creio na nossa superioridade, mesmo conhecendo a capacidade humana de criar. Este poder de criação no entanto tando pode ser para o bem como pode ser para o mal. O que nos leva a sermos bons e o que nos leva a sermos maus?
Como podemos crer no homem quando alguém arrebanha um grupo em nome de Deus quando sabemos que estas pessoas estão interessadas em obter recursos e não altruísmo.
É muito fácil falar na bondade ou a punição de Deus quando se tem um bom emprego e se frequenta igrejas onde parece mais clubes de festas sociais.
Onde ora-se e chora e agradece a Deus e discute-se a bíblia...
Onde ficam as ações.
Somos seres superiores? Não creio que sejamos. Vivendo e vendo tantas cosias não creio na bondade dos pastores...
Só a vida nos ensina... e só ela nos revela quem somos.
Serei eu melhor que os outros seres? 
Cada dia creio menos, até queria ser otimista como Ruben Alves, mas...
Não creio na nossa superioridade e nem na nossa semelhança com Deus.
Crês?

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Que pesco a tarde?


Quando cai a tarde,
e junto a ela o crepúsculo.
O lago espelhado
ou ondulado abriga
peixes e pescadores.
Enquanto o sol vai partindo,
a brisa soprando
e a vida dirimindo.
Passos, pesca e olhar perdido.
Remo, riso, vôo.
A vida vai seguindo.

As pessoas se refugiam
no lago
que abraça a todos os olhares...
Um ou outro peixe saem da água,
quase nada.
Caminho, vejo as plantas,
o lago,
casa e as pessoas,
as vezes revejo,
ou não.
E a vida segue,
e as tardes seguem
no lago
e a vida continua,
partindo,
dirimindo.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Sertão vivo

Vivo,
vivo é o sertão.
Quando cai a chuva.
Rolam as pedras riacho abaixo.
Canta a juriti.
E os campos cinzas
logo de verde se veste.
E todo o sofrimento da estiagem é esquecido.
Cada dia tem menos gente no sertão.
Cada dia mais aumenta o vazio no sertão.
Todas as memórias são apagadas.
O tempo faz tudo sumir...
Guardo no peito
um sertão
as vezes belo,
as vezes cinzento...
O sertão é como a vida
grande e cheio de mistérios,
as vezes curto e descoberto...
Vivo o sertão sempre está vivo.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Outubro

É dia anuncia o despertador.
Outubro mês de pesos iguais.
O dia tanto pode arder
em calor, como pode
cair um temporal.
Os flamboiãs
estão encarnados de flores.
Lembro de barão
quando vejo estas paisagens,
e o tempo e a estação
se revela pra mim.
Descobri que a vida é passageira
passando pela vida.
Então só nos resta viver.
Só nos resta viver felizes.
Mais nada.
Mais um dia se outubro se passa
e os anos passam juntos.
Os anos começa para quem nasce
e terminam pra quem morre...
Outros outubros virão,
outros outubros virão.
Que cada um tenha
o outubro que lhe convenham.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Canto do Grilo

O grilo grilado canta
noite adentro.
No canto úmido da casa
canta. cri cri cri...
E a noite negra
oculta o grilo negro.
E a noite vai partindo,
conduzindo o velho
ao novo dia.
Um dia a menos
na semana, no mês e no ano.
E a noite e o grilo
cantarão amanhã
no mesmo lugar.
Não sei se estarei aqui
para ouvi-lo,
não sei o quanto vai durar
a cantarola do grilo.
Certamente, ele cantará
por toda sua vida,
não terei todas
as noites para ouvi-lo...
Mas o grilo canta
meus últimos dias
dos meus 32 anos.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Dramas da vida

O nosso mundo às vezes perde as cores.
Ficamos tão sensíveis e fracos.
Mas o que fazer para reagir a estes
sentimentos?
Uma conversa,
uma oração,
uma droga...
Cada um tem uma experiência
que o salva ou o faz afundar.
A música acalma a alma.
Caminhar para refletir...
A vida é tão complexa,
e nós seres vivos
mais complexos ainda.
Seguir a vida,
tentar suportar os carmas
quem sabe valerá a pena
a renunciar.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A tarde no Lago


Quando a tarde cai
sigo para o lago.
Vejo plantas,
vejo flores,
vejo o espelho das águas
às vezes calma,
às vezes ondulante.
Vejo o céu azul,
vejo o crepúsculo
e vejo o dia que quase passou.
vejo a linha plana da água,
pessoas caminhando,
pessoas pescando.
Tem dias que aparece muita gente,
geralmente quando é tarde de sol.
Quando é tarde de chuva não aparece
quase ninguém.
As pessoas adoram o lago,
as águas do lago parecem acalma-las.
Ontem, foi uma tarde tão
gostosa o sol brilhava
e ventava do poente,
senti muito feliz.
As crianças que ali corriam também.
As aves voavam de lá pra cá,
voavam na altura das águas...
Quando é tarde descarrego minha vida no lago.


quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Infinita beleza

Cada um tem um sonho.
Alguns tem sonhos tão grandes,
outros sonhos tão pequenos.
O importante é que se tenha sonhos.
Quando se sonha
é possível fazer o impossível.
Um joão-de-barro não
sabe engenharia, nem é pedreiro,
as sua casa é uma obra de arte.
Trabalha sem parar,
trabalhar sempre a cantar.
Quem dera fossemos joões-de-barros.
Mas somos humanos,
parece que carregamos problemas,
cansaço... Estamos sempre querendo
mesmo sem trabalhar...
Só sabemos poluir.
Sonhos precisamos de sonhos,
precisamos observar
a natureza...
Tudo é tão efêmero,
por isso queremos poder consumir tudo?
Não somos mesmo ignorantes.
A vida assim não nos permitirá
termos netos...
Sonhos, mas consciente,
consumo consciente...
E o joão-de-barro não tá nem ai.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A noite passada


A noite caiu silenciosa.
Aos poucos as nuvens escuras
ofuscaram o brilho das estrelas
e se derramaram em chuva.
Não se ouviam grilos,
não se ouvia nada
além do quebrar
das águas da biqueira.
Choveu, choveu, choveu sem parar.
Enquanto pessoas descansavam,
enquanto pessoas sonhavam.
Pela manhã
o cheiro de umidade onipresente,
alegraram minha alma,
calçadas lavadas,
tanajuras mortas
e o lixo desceu correnteza
abaixo tapando boeiros...
As flores desabrocharam
indiferentes a noite passada.
Na noite passada
quantas coisas 
não aconteceram.
Fatos continuam acontecendo,
junto a vida, junto a existência...

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Meio vida e ambiente!

A noite caiu escura
coberta de negras nuvens.
A brisa soprava suave
trazendo o aroma
do tempo, do fumo dos escapes dos carros.

Noite escura,
noite dura.

O dia que passou
foi quente, de sol,
de carros ligados
emitindo calor e fumaça...

O mundo não ta de graça,
é lenha, é fogo,
e represas e plantações.
Cadê os animais?

A noite sempre caiu escura,
nas nunca caiu tão sem vida....

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

O tempo

O tempo

O tempo é como um rio
que corre sem parar.
O tempo em seu fluxo
a passar apaga
de nossas memórias
as coisas boas e ruins.
O tempo não deixa prova
não deixa marcas
é a matéria que se desgasta.

No tempo tantas coisas são realizadas,
histórias se iniciam,
desenrolam e se acabam.

Apenas as memórias
podem eternizar
o tempo e suas faces...

O tempo é para ser consumido,
visto que é curto
e único...
O passado é a substância
do tempo
e o presente
é parte do tempo que podemos
manipular
ou nada.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Mais um dia


E mais um dia se foi,
mais um dia que virou passado,
menos um dia em minha existência.
O passado é a substância que compõe o tempo.
Tudo que regeu a minha vida hoje,
não fará sentido amanhã...
Outras pessoas, outras situações...
As pessoas queridas habitarão sempre
meu coração
e espero apagar de minha mente
as que não me querem bem.
Mais um dia se foi.
Quão útil é um dia na existência de uma vida?
O sol nasceu e o sol se pôs.
Neste intervalo de tempo 
quantas coisas não aconteceram,
quantas coisas não ganharam existência
e quantas coisas não se perderam...
O mundo é tão imenso,
mas o mundo que vejo é tão curto
vai apenas onde consigo enxergar...
E a vida se passa dia dia.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Dia no cerrado

O sol é cada dia mais quente
que primavera diferente.
Poucas chuvas caíram
o barro já se desprende
em poeira fofa e vermelha.
Plantas verdejantes
e floridas...
Cerrado árduo
ao meio dia.
O sol só quebra a crista
depois das quatro da tarde...
As rochas ardem
e o dia passa e cansados
com o dia nos vamos.

sábado, 6 de outubro de 2012

Cursos da vida

Devemos seguir em frente,
a vida acontece no instante presente.
Não adianta olhar para trás.
Não adianta tentar ver o que passou,
Caminho caminhado é passado.
Temos que olhar para o caminho que iremos
caminhar,
olhar em frente e tentar esquecer tudo que passou...
O passado guarda tantas vertentes,
tantas possibilidades ocultas.
Se tivesse feito isso ou aquilo, como seria minha vida?
Esquece o passado, pois trata-se de paixões perdidas.
Mira o presente...
Vive o presente...
As boas e más coisas passaram,
não existem mais, são comparáveis a sonhos.

A vida é pragmática,
não fiques parado perante a vida.
Segue em frente.
Se algo te frustou ou te deixou feliz,
amanhã passará...




A vida é um rio que tem um curso certo
sempre se derrama no mar...




O fim todos conhecemos,
mas até lá podemos mudar muitas coisas.

Teia

O mundo que me cerca é tão complexo.
Neste mundo tudo posso encontrar.
Posso encontrar coisas que me fazem sentir bem
e coisas que me fazem sentir mal.
Normalmente as coisas que me fazem sentir bem,
trazem uma sensação de bem está.
Coisas lindas e mágicas como um por do sol,
uma aurora, uma noite clara enluarada,
uma noite estrelada.
Coisas que o outro não possa tocar
e destruir.
As coisas que me fazem sentir mal,
nem sempre poderão dar a mesma sensação no outro.
Desordem, lixo, mal educação...
São tantas coisas de origem humana.
Os dias passam e muitas vezes
tenho a sensação que serei forte e vencerei,
outras tenho a sensação que já perdi.
E fico calado, não sei tratar as pessoas,
e as coisas.
Não há um mundo só pra mim,
não existe um mundo maravilhoso,
além das minhas ideias.
Não vou fugir, mas não reagirei...

Que felizes dão os pássaros livres a voa e cantar.
Que felizes são as baleias que tem todo o oceano para nadar.

Que felizes são as crianças a brincar
sem noção de razão, vivem intensamente a vida.

Mas nós. Nós aprendemos a realidade crua da vida,
onde a beleza que deveria ser para todos
as vezes nem o é.
Uma lua cheia, um jardim florido...
Sei lá.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Recomeçar



É preciso recomeçar sempre.
A natureza que é sábia ensina
a suas partes que é preciso mudar
para sobreviver as adversidades do mundo.
As árvores perdem as folhas,
as aves migram para outros lugares.
E nós que devemos fazer
para suportar as adversidades da vida?
Buscar uma religião?
Casar?
Viajar?
Ir ao psiquiatra?
Podemos fazer tantas coisas ou não fazer nada.
Mas não fazer nada é renunciar a vida, querer morrer.

Recomeçar é perceber que sempre melhorar.
Podemos melhorar tantas coisas na vida.
Primeiro podemos perseguir o que nos faz feliz.
São tantas coisas que nos podem fazer felizes.

Quando mudamos de lugar temos que recomeçar,
e como sei disso não é fácil recomeçar.
Olho para a tarde como parceira da vida,
olho para a natureza pois com relação
as pessoas são todas estranhas...

Recomeçar, construir e ser.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A vida

A vida não cessa de passar.
Quem pode parar e cristalizar a vida?
Não podemos prever o que nos acontecerá no amanhã,
pois não temos domínio nem certeza do que virá.
Pode nos acontecer algo de maravilhoso,
mas também algo de impiedoso.
Cada instante que se passa em minha vida,
tenho plena certeza que é um tempo
subtraído. Nosso tempo está passando,
por isso não devemos perder tempo
com coisas futéis, preocupações com o amanhã.

A vida é uma caminhada curta
sobre dunas onde nossas pegadas
são apagadas pelo vento tão brevemente.
Tudo na vida é tão passageiro.

Muitas vezes não percebemos
e deixamos que a vida 
passe sem empolgação sem amor.

Muitas vezes vivemos no mundo
platônico, vivemos crendo
na mediocridade de nossas vidas
sem crer que as mudanças ocorrem no dia-a-dia.

O vento sopra e nossas pegadas
somem da areia...
O amanhã é inseguro demais,
não nos pertence, nem o ontem.
A única coisa que tempos é o momento
presente em que acontecem as coisas.
é o fogo que queimando correm
em direção a bomba e a explosão....

Somos grãos de areia levados
ao vento...

A vida costuma ser traiçoeira,
mas vale a pena ser vivida.

Vale a pena ver cada aurora,
cada pino do meio dia,
cada crepúsculo,
cada lua cheia,
cada desabrochar da flor,
cada coisa simples
como o riso da criança,
uma grande amizade...

Ah, a vida...

Por que criamos tantos mitos e paixões?
Por que simples mente não vivemos?

Sabe-se lá...
A vida vale a pena.

Além



Além do mar,
onde o sol desaparece.
Além da linha do horizonte,
que podemos encontrar?
Posso ver daqui
o céu encarnado
feito brasas acesas.
O espelho da água
na areia reflete o laranja
do sol...
É o fim de tarde...
é o fim do dia.
Até quando terei outra tarde?
Além do mar o sol desaparece.
Além da linha do horizonte.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Além do mar da alma


Além do mar,
além de minha alma.
O mar é agitado,
mas quando olhamos para o horizonte,
vemos uma linha calma.
Será se encontramos
linha semelhante em nossa alma?
Além do horizonte que há?
Que há além da alma?
No compasso de cada onda,
no compasso de coisa que se passa na vida...
O vento sopra e refrigera a areia e a nossa alma.

Além do mar de nossa alma que há?

Outra tarde



É fim de tarde e nos fins de tarde estamos cansados.
Fazemos qualquer coisa para esquecer o fim de mais um dia.
No fim da tarde, quando o sol tinge tudo de encarnado.
Saio para caminhar e pensar um pouco.
Saio sempre só. Estou sempre tão só,
mas nos fins de tarde sou ainda mais só.
Saio caminhando pelas calçadas,
cruzo a braquiária, o viaduto,
caminhos tortos enquanto sou observado
por passageiros de ônibus ou donos egoístas de carros.
Sigo como um objeto que caminha, não chamo atenção
de ninguém sou quase invisível.
Então chego ao fim do lago, onde pessoas fingem pescar,
onde o mau cheiro e o lixo estão presentes.
Chego a passarela...
Enquanto isso o sol vai sumindo lentamente.
Na passarela vi e vejo tantas pessoas.
Pessoas preocupada em perder peso,
outras preocupadas em esquecer as preocupações,
outras tentando pescar, outras se beijando, outras caminhando...
Tantas pessoas.
Já vi coisas engraçadas como o nadar das capivaras que chamam
atenção.
O lago expressa as emoções do vento,
há dias que está claro como um espelho,
outros dias agitados,
outros dias quente,
outros dias frio... O lago sempre me encanta,
e encanta muitos que lá vão ver o sol desaparecer no
espelho de suas águas
ou vão para ver a lua caminhar
no ondulegar de suas águas.
E a noite cai e eu penso, e eu vivo, e eu respiro
e volto para casa onde paro para
me preparar para outro dia...

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Noite

Noite de lua cheia,
a brisa frouxa
sopra com o tempo.

Jardins escuros,
noite vazia.

É primavera.
Noite fria de primavera.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Incerteza do tempo


Assim como o dia se vai,
o ano segue o mesmo caminho.
Outubro chegou e o ano quase acabou.
Muitas histórias iniciaram
e muitas findaram, partiram se definindo.
Não sabemos que há além do amanhã,
muito menos o que há além do dia.
O crepúsculo é tão belo.
O fim de um dia e a perspectiva de um novo dia.
A consciência que nos chega com a idade,
chega anunciando que a qualquer
momento pode ser o último.

Oh, crepúsculo de minha vida.
Enchei de beleza minha poesia.
Não posso querer pisar no solo do amanhã,
pois é incerto
como a vida é incerta.
Breve como o tempo.

Insônia


Quando é noite profunda e todos dormem. Tudo é silêncio. Apago a luz com intenção de dormir, mas a luz que atravessa as frestas da janela e meus pensamentos ativos não me permitem dormir. Sinto calor ou frio. Acendo a luz, escrevo algo,  leio... apago a luz, mas o sono não chega. Fico deitado pensando, pensando... Grilos cantam, estrelas brilham. Oh, vida contemporânea. Como haveremos de viver com tantos problemas, pensamentos...
Penso no passado, penso no futuro. Penso...
Até que tenha sono chegue, meu Deus leva tempo.
E a madrugada chega e o sono onde foi?
Quando é dia, sinto sono, mas já é tarde demais para dormir.