segunda-feira, 28 de maio de 2012

Corpo e alma

Não somos dois, corpo e alma, mas apenas um.
Somos constituídos de corpo e alma.
E não existe corpo sem alma, nem alma sem corpo.
Embora o corpo seja composto de substância,
não é possível ver a substância da alma.
Mas sentimos que algo dentro de nós é mais forte que imaginamos.
Embora asubstancial.
Quando ouvimos uma música,
sentimos o calor, o carinho, o afago, um cheiro ou um gosto
que desperta nossas melhores memórias.
Onde estão as lembranças
e o que constitui essa alma.
Energia em fluxo?
Quem sabe...
Hoje ouvi Rachmaninoff
e a melodia de uma de suas sinfonias
era tão bela que parecia
dar vida ao meu ser interior.
Seria um encontro entre algo que vem do universo
e se expressa na música e que nosso ser
se identifica?
Quem sabe?
Mas minha alma reconhece o universo
na música e no verso.
Se somos dois não sei. Pouco sei sobre nada.
Muitas vezes me esqueço do que vivi,
sei que está apenas adormecido...
E dispertará um dia.
Sem o corpo minha alma nada é.

sábado, 26 de maio de 2012

Sertão do pantanal

Vasto sertão.
Mundo de amplidão.
Vazio e solidão. Silêncio.
Um animal caminha pela vereda
e quebra o silêncio ao caminhar
e esmaga as folhas secas.
E deixa o forte aroma
de felino faminto
a caçar.
A onça pintada
imersa na vastidão do sertão.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Noite no Pantanal

Quando a noite cai no Pantanal tudo fica um breu. As estrelas se acendem e piscam sem parar. O silêncio chega a incomodar. As aves se recolhem em seus ninhos e os animais em seus abrigos. Sabe lá o que fazem os jacarés. A noite aqui é tão sossegada que nos sentimos em outro mundo. E tanto sossego que nem percebemos a noite passar. O escuro da noite no Pantanal é um manta que cobre a planície para a vida descansar.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Pantanal e Manuel

O pantanal é belo, extremamente belo.
No pantanal se as aves se calam tudo é silêncio.
O jacaré na beira da lagoa se aquece ao sol.
As flores de convolvulaceas nesta época
são discos rosas, margenta, vinhos e azuis
que enfeitam o pantanal.
As capivaras são tão simpáticas.
E as aves tão cordiais...
No pantanal o horizonte está tão próximo.
E as cores são tão vivas.
Os bichos são tão belos a abundantes...
A beleza do pantanal
planta em cada um
uma saudade.
Parece que tudo está tão cheio de nada.
No pantanal viva, vivemos Manuel de Barros...

domingo, 20 de maio de 2012

Nada

Quando a noite chega
e traz a paz ao mundo,
as aves adormecem
e as flores se fecham.
Que mundo mais lindo,
que vida...

sábado, 19 de maio de 2012

Ser

O céu azul,
o dia quente
vem a  minha mente.
A liberdade de ser
e me dar uma vontade
de ser.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Existir

É preciso pensar o novo, o real o presente.
É preciso ter em mente o passado,
pois o amanhã não nos pertence,
ou melhor nada nos pertence
tudo é emprestado.
Temos apenas o presente,
o instante.
Quando pensamos no presente real
e quando vivemos este momento
cumprimos nosso dever como ser
existimos plenamente.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Manhã

O dia nublado,
paineiras rosas,
o vento frio sopra
suave e acaricia
as pétalas das flores
rosas.
Aves pequenas
pulam de galho em galho
em busca de alimento.
Segue a manhã
fria e bela.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Além do Crepúsculo

Quanto tempo não vejo aurora,
já é tempo de ir embora.
Quando cerro os olhos
já é tarde quase um novo dia.
Quando acordo
é tarde sinto
correr contra o tempo,
mas logo tudo se diluirá.
Novas coisas acontecerão.
Que nasça uma poesia
e que veja a luz do aurora
além do crepúsculo.

sábado, 12 de maio de 2012

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Interior

E o mundo ressurge todos os dias
diferente.
Quando abro os meus olhos
eu posso sentir mais o mundo
e a vida que pulsa nas flores,
nos jardins
e isso tudo reflete dentro de mim.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Paineira

A paineira cor de rosa,
As chuvas partiram
e a paineira ficou nua,
e a lua banha com
a luz prateada
os galhos e o tronco
espeço da ceiba.
A paineira agora
se vestiu de grandes
flores cor de rosa.
Que bela é a paineira
suas flores estão
mais margenta
com flores
com pétalas
de orelhas de 
jeque...
Paineira sorria...

terça-feira, 8 de maio de 2012

Noite

Noite de céu atropurpúreo,
estrelas piscando,
e o céu nu.
A flor do cerrado acesa.
Noite que bela noite,
onde foi o vento de açoite?
Sei lá.
No cerrado tá tudo parado...

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Chegada

Quando cheguei a capital federal
estava muito quente e agora
um vento frouxo sopra
dia e noite sem parar.

As aves cantam longe quebrando
o silêncio da tarde
que continua fresca 
e fria a sombra das árvores
a sombra de maio.

sábado, 5 de maio de 2012

Manhã azul

Vamos limpar o jardim
das ervas invasoras,
vamos limpar o jardim
para as floríferas
floram...
Limpo o jardim
que molhe a terra,
e forre com adubo...
e germine a a vida
nessa manhã azul...

Triângulo mineiro

Que belo azul do céu
onde nuvens brancas
feito algodão
leves levadas ao vento.
Que bela manhã de sábado,
clara e leve e seca.
Que venha uma chuva,
que caia e escorra
chuva venha lavar
o triângulo mineiro...

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Maio

Já é maio e as chuvas já partiram.
O sol brilha intenso no céu azul.
As folhas desprendem as árvores
e são levadas ao vento.

Tudo seca
só as fontes
dão de beber
as aves.

É tão belo o desprender
das folhas das árvores.

As paineiras já perderam
todas as flores
e estão cobertas 
de flores margenta.

Maio, mês
das mães
mês da terra,
terno amor.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Feriado

Hoje é primeiro de maio.
É feriado do dia do trabalho.
Hoje foi um dia longo
e tedioso.
Tudo fechado!
Passei o dia
sem fazer nada
e sem vontade de
fazer...
A tarde sai para passear,
por lugares que desconheço,
vi as ruas vazias
e um lindo crepúsculo,
fiquei fadigado...
Amanhã é quarta
há de ser melhor que 
o feriado.