domingo, 30 de dezembro de 2012

Ano, estações e vida

Estações.

Fim de ano,
agora é verão,
sol quente, chuva forte.
Agora é verão.
Dezembro, último mês do ano.
Ano que parece longo,
mas passou tão rápido.
Penúltimo dia!
Nossa alma se enche de emoção.
Vitórias ou derrotas logo mais serão superadas,
após a meia noite de depois de amanhã,
recomeçamos tudo novamente...
Logo passará o verão,
virá o outono, a primavera
e o inverno.
No ano quantas coisas não acontecem,
quantos se vão, quantos não nascem.
Precisamos de esperança e fé,
para superar as adversidades
da vida 
e cultivar diversas belezas.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

NATAL

Noite de NATAL.
Ruas escuras!
Garotos soltando bombas,
pisca-pisca,
perniu e peru...
Noite de natal,
luzes coloridas,
Pena Branca...
Noite de natal
de 2012.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Espelho do lago

Hoje a tarde estava tão quente.
O sol brilhava intensamente.
As águas do lago estavam calmas,
paradas.
As águas do lago formavam
um espelho de tão parada.
O céu estava azul.
As plantas não estavam floridas,
estavam verdes.
Nada aconteceu demais,
foi uma tarde agradável,
foi uma tarde excelente,
tarde de sol.
A noite caiu limpa
e escura.
Estrelas brilhavam
no céu.
Estrelas de natal,
noite de natal...
Os últimos dias do ano
se desfazem,
desfecham...
E lá se foi mais uma tarde,
uma noite de dezembro,
de minha vida...
Ao menos vi mais uma vez
o lago espelhado,
mais nada.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Monotonia

As ruas ficam vazias
nos feriados e fins de semana.
Nada passa, nem mesmo um vento...
O tempo passa,
e tinge de cinza
tudo que há na vista...
O tempo se encarrega de apagar tudo.
Ruas vazias...
Que são as ruas sem as pessoas,
que são as pessoas
sem os dias?
Talvez tudo se esvazia
a vida vira uma monotonia...

sábado, 15 de dezembro de 2012

A natureza

Nunca pensei, não gosto muito de pensar. 
A vida toma de conta do meu ser.
Pensar!
Vivi sempre o mundo,
as coisas, as plantas floridas ou não,
as rochas, os objetos e a arte neles impressa!

Pensar, quem pensa quando apenas vive...

Viver o presente, sentir as coisas...
Sentir o calor ou o frio de cada lugar,
olhar o capricho da natureza
e de admirar.
Se admirar com a beleza da flor,
com a leveza e a beleza da borboleta
e do beija-flor
que cultiva as flores
por um pouco de mel.

A natureza é tão perfeita.
A vida é tão cruel
e nós imersos na vida,
imitamos a natureza
na pela beleza,
e nos apegamos
ao belo artificial
e destruímos o real pelo
artificial...

Tigres enjaulados.

Nossos filhos,
nossos netos,
quem sabe só reconhecerão
a natureza e sua beleza através de imagens,
nada real...

Casa, carro, rio seco,
mata devastada...
Soja, gado, mais nada.

Não gosto de pensar,
pois quando penso em nosso futuro,
penso que tudo que vivi
e existiu não existirá mais.

Cadê o preá? Cadê as lendas de onça em Serrinha dos Pintos,
o velho alto do Barroso, devorado por uma onça...

Mitos, nem nos trazem mais risos.

O meu mundo era tão pequeno,
mas tão grande, cheio de imaginação...

Desvendei o mundo real
e descobri a realidade...

A arte humana que humaniza,
A técnica humana que desumaniza,
desnaturaliza...

Pensar!

Gosto de comer livros,
e nem isso posso fazer,
tenho que tentar ser o melhor,
mas ser o melhor não significa nada,
não diz nada...

E enquanto isso, ficamos mais glutões
e natureza mais estiolada.



Cada segundo

Como o mundo mudou! ou serei que estou ficando velho?
Adoro caminhar na beira do lago Paranoá. Quase todas as tardes estou eu lá malhando na academia que meu amigo insiste que não é academia. Adoro sair para caminhar e ver as águas do lago, as aves voando, um ou outro avião, ver as pessoas pescando, as vezes noivas sendo fotografadas
e muitas crianças. Elas, as crianças são tão felizes! tempo melhor na vida não há, usam todos os equipamentos da academia, pulam, correm... E o mais interessante! As crianças, as vezes com dois anos não podem ver uma câmera que já fazem pose! Meu Deus sou um bicho do mato! Quando tinha 6 anos tirei minha primeira foto e foi um evento em minha vida! tive que tomar banho, vestir a roupinha que minha madrinha me deu! E hoje as crianças posam rindo, fazendo pose e tudo mais.
Fico me acabando de rir por dentro... Como o tempo muda, como as gerações mudaram em pouco tempo!
Ainda bem que tem o lago para caminhar e pensar na vida, ver quantas coisas acontecem
sob o nosso nariz.
O mundo mudou mesmo e estou ficando velho,
apesar de tudo a vida vale a pena a cada segundo.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

12-12-2012

O tempo faz curvas
como o vento.
O vento passa
como o tempo,
mas o vento acaricia
as coisas e o tempo
desgasta as coisas.
O tempo passa sem parar,
a vida é consumida
a todo instante pelo tempo.
Hoje dia 12-12-2012,
quanto tempo passou,
quando tempo passou
e quem eu sou?
Ah, a vida é um grande
aprendizado,
mais nada!

domingo, 9 de dezembro de 2012

Divino

O que nos prova a existência do divino?
Acho que o céu azul,
a chuva chovendo,
o vento ventando,
as flores cheias de cores desabrochando,
as flores florindo,
o rio correndo,
as aves cantando,
estrelas brilhando,
a vinda surgindo e partindo...
Tudo prova a existência
do divino...
Mesmo que tentem dar outro nome,
tudo é tão belo para
surgir do acaso e do tempo...

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Pedro nasceu

Dias de felicidade!
Hoje nasceu mais um ser,
hoje Pedro aqui veio viver,
Veio pra uma família feliz e unida,
em ceia de natal reunida,
vamos celebrar sua vida,
A muito que esperávamos sua vinda.
E hoje quando nasceu,
quando tudo correu em paz,
Aleluia, aleluia,
que seja bem vindo a vida.
Papai e mamãe são novamente avós,
nós os tios, somos novamente tios.
Felizes.
De certo hoje é um dia
pleno de felicidade e alegria
em nossa vida,
por isso essa pequena poesia.

Seja bem vindo Pedro
a vida e ao seio de nossa família.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Céu, amanhã

Um céu mudando de cor,
um céu que foi azul
agora escurece.
As vezes somos como céu
estamos vivos e estamos radiantes
e azul...
E há momentos
que nos escondemos nas sombras
mais profundas de nosso ser.
Uma música pode nos fazer feliz,
uma lembrança...
Mas quando ficamos sós
como encontrar
esses veios de felicidade?
Então escurecemos
sob a noite
ou sob a chuva...
Ah, mas como o céu azul
sempre aparece,
temos ainda uma esperança
no amanhã.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Tarde de domingo

Domingo,
A tarde vai caindo devagar.
Que tarde fagueira!
Paro, deito, penso no passado,
penso no futuro,
penso na família,
penso nos amigos,
quase ninguém lembra de mim,
mas eu penso em todos eles...
Embora tenha muitas coisas
com que me ocupar,
mas caio no ócio,
e penso,
penso,
penso que há tanta gente por ai
como eu no ócio,
pensando no que fez e no que vai fazer.
Há pessoas deitadas que não podem levantar...

A parte isso a tarde continua caindo.
Agora mesmo desfia do céu 
uma leve neblina,
o chão quente libera um cheiro
de chuva...
Causou-me surpresa saber
que esse cheiro de chuva
é na verdade cheiro de um fungo...
Pra mim vai ser sempre cheiro de chuva.
A verdade as vezes soa mal...
Prefiro mitos muitas vezes.
E a tarde se vai,
e a vida se vai,
e eu procurando
saber quem eu sou,
quem eu fui...
Tanta coisa se passa em minha cabeça
numa tarde vagabunda
de domingo...

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Viver

Viver,
A vida se passa cotidianamente.
Horas sucedendo horas, dias sucedendo dias.
A vida se passa rotineira mente,
do nascer do sol ao luar,
o crepúsculo matinal, aurora,
ao crepúsculo terminal.
A vida se passa a cada estação,
a vida se renova através da paixão, do amor.
A vida se renova através de cada flor.
A vida e o seu sentido é como uma longa
corrente em quem na sucessão de avó para pai,
de pai para filho, os fatos caem
no esquecimento, mas o saber
vai crescendo a cada geração...
A vida vale tanta coisa
e tudo que nela ocorre
são elos que compõem
sua corrente,
viver é tudo,
morrer nada.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Lua

Noite escura noite,
Noite de lua cheia...
mas cadê a lua?
Não apareceu na rua.
Ah, lua cheia,
ah, vida cheia...
Não faço tudo,
não faço nada.
Sou o que faço,
quase sempre nada.
Como a lua tenho
fazes...
Hoje a lua está
cheia,
mas parece escura.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Na noite

E  quando a noite chegar
quero descansar...
Vejo meu tempo passar,
e não vivo para mim,
não vivo um viver,
vivo em função de objetivos....
Ah, quero descansar a noite,
quero ler, quero dormir...
mais nada.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Crepúsculo

É tarde finda.
O sol já sumiu,
mas ainda  vejo sua luz.
Ainda posso ver sua luz
encarnada.
Vejo de minha janela,
nuvens tingidas de encarnadas,
acesas feito brasa.
Brasa de um dia longo
que se apaga.
Se apaga a luz,
se apaga o calor,
nem chuva,
nem luz...
Os fatos do dia
estão consumados
e o dia apagado.
Só resta a luz embrasada
que vai apagando,
lentamente,
feito brasa,
mais nada.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A chuva

É tarde,
a chuva chove sem parar,
chove forte,
chove vinda do poente.
A chuva chovendo canta,
é um canto tão doce
que até as aves calam
só para ouvir
a chuva cantar...
O vento que acompanha
a chuva não apareceu...
Ainda bem!
A chuva chove
e deixa esta tarde de segunda
mais viva,
mais feliz...
Tão doce quanto flore de jasmim.

domingo, 25 de novembro de 2012

O dia passou

E o dia passou
e a noite chegou,
e se passou mais um dia
na vida.
E neste dia me senti tão só.
Feliz? talvez ou não.
Domingo...
Tudo se passou como sempre se passa,
os lugares são outros,
as pessoas, os hábitos...
O dia passou...

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Caos

As vezes me sinto atribulado, amedrontado.
Mas de que me adianta estes sentimentos?
O medo é inerente ao ser humano,
então só poderei ser mais ou menos medroso.
As vezes parece até que perdi as esperanças,
ainda bem que os humores mudam,
ainda bem que as coisas acontecem
e a vida continua de qualquer forma
então pra que se atribular e temer?

O lago


O lago no fim da tarde estava tão tranquilo
que suas águas pareciam um imenso espelho.
Não vemos nada no seu fundo,
mas o peixes ali nada.
Em suas bordas pessoas
caminham,
em suas bordas aves e homens
pescam.
A luz do sol se vai
e o escuro da noite
cobre com seu 
mando escuro e frio
as águas do lago...
As luzes são refletidas
nas águas do lago
e se foi mais um dia
em que guardei em mim
um pouco do lago
um pouco do nada.

A chuva

A chuva chegou
na tarde,
levou o calor,
levou o sol
e trouxe tanta coisa,
trouxe o som
dos pingos,
o som das águas,
trouxe alegria.
A chuva chovia 
na tarde.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

A tarde

É tarde quase noite
o céu nublado
e o sol já partiu.
Tudo é silêncio,
nem mesmo uma coruja canta.
A natureza toda se recolheu.
Mas para nós, seres humanos,
estamos condenados a trabalhar,
a estudar, a produzir...
Queria ler um livro,
mas quem disse que posso,
pois tenho que estudar,
sabe lá pra que!
Fazer o que gosta no lugar que gosta?
Queria agora ouvir o canto do bacurau.
Bem, mais uma tarde vai passar,
outras seguirão pela eternidade,
mas qualquer dia posso dormir
e as tardes continuarão.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Estações

As flores desabrocham belas e perfumadas.
Flores de flamboiã, de baru, de sesbania,
de ipomoea...
Plântulas crescem do chão.
Depois da chuva a poeira apaga
e a lama tinge as calçadas...
É época de chuva,
é época de ver a chuva cair,
pela manhã, a tarde toda
ou ouvir a  noite...
Flores, mais tarde frutos,
mas tarde sementes,
verão e chuva,
como um rio segue o curso
as estações seguem
suas situações.

domingo, 18 de novembro de 2012

A natureza

A natureza é tão maravilhosa e bela.
Como é bom poder observá-la
e senti-la. Perceber que fazemos
parte dela.
O céu azul ensolarado,
a chuva, o dia e a noite.
Os animais e as plantas,
as rochas...
E nós que damos um sentido
além da existência.
Criamos tantas coisas
para dar mais significado a vida
que é natureza...
Somos um cosmo
indecifrável
como a natureza que até pode
ser descrita,
mas nunca completamente desvendada.
A natureza se diluí e se dissolve
em energia
e mais nada.

Esperança


A vida sem esperança é uma agonia.
Como seria acordar e não espera
que algo bom aconteça.
Como seria olhar para o futuro
e não ter  o mínimo de esperança?
Desde o nascer ao por do sol,
temos que ter esperanças.
Esperança de tempos melhores.
A esperança e os sinais de que tudo pode ficar
melhor nos faz sentirmos felizes.
Algumas pessoas cultivam grandes esperanças
enquanto outras são modestas. Que assim seja.
Já não basta a vida ser curta, já não basta
muitas vezes vivermos infelizes e com medo...
Se a esperança foi a única coisa que sobrou
da caixa de pandora e se é a única coisa que temos,
então que tenhamos esperança. Porque a vida é breve. Porque a vida é breve. Porque ao vivermos, vemos as nossas histórias e percebemos as histórias dos outros.
Sem esperança, tudo seria mais sofrimento.

sábado, 17 de novembro de 2012

Quase meia noite

É noite,
noite de sábado.
Tudo é silêncio,
tudo é escuro.
O eco do  mundo,
o silêncio surdo da noite.
O vazio em meus pensamentos.
O tempo...o presente,
memórias do passado,
perspectivas do futuro...
O silêncio solitário da noite.
O vento passa,
a vida passa,
mais nada.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

O silêncio

Silêncio
http://www.youtube.com/watch?v=39DNaNAMKAU

O silêncio nos incomoda, pois quando nascemos o silêncio é quebrado.
E por muito tempo o silêncio fica adormecido dentro de nós,
mas ele aos poucos vai revivendo dentro de nós.
E vai nos revelando sobre a vida...
Até que toma conta de nós completamente,
até que somos esquecidos...
E o silêncio reina completamente.

Partida

Pessoas morrem todos os dias. Mas quando são pessoas muito próximas, de quem gostamos, sentimos uma grande perca. No decorrer da idade, quando nos tornamos adultos percebemos que os adultos de nossa infância se tornaram idosos e aos poucos partem. E na idade adulta passamos a entender mais a vida. Celebramos os nascimentos de nossos filhos e choramos a morte de nossos entes queridos. A morte é um mistério indecifrável. Hoje que vejo os amigos dos meus pais partindo, vejo o lugar onde parti diferente, habitado por pessoas que não conheço, sinto que parte de mim também está sumindo. Restam pedras, vegetação e memórias. Elita e Joazinho de Licor sempre foram parte da família, mesmo não sendo do mesmo sangue. Eles nos viram crescer naquele sítio de cajus e areia branca. Conhecia-os desde que me entendo por gente, sempre percebi um clima de forte amizade entre eles e meus pais. Desde que sai de casa em 2000 sempre que voltava para visitar meus pais, recebia a gratificante visita do casal. Este casal que sempre desejou tudo de bom para nós. Agora partiram ambos. Primeiro foi Joaozinho e ontem Elita adormeceu eternamente... Que vá em paz. Amém...

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

A gente cresce

A gente cresce.
Chega o dia que a gente cresce.
Chega o dia que partimos e temos que deixar
tudo para trás e recomeçar a vida.
Vi muito os filhos serem separados dos pais
para tentar a vida lá fora...
Senti isso na carne meus irmãos
como cipselas partindo do capítulo,
primeiro foi um, e foi seguindo,
fui o último a partir
e hoje vejo pessoas partindo.
É doloroso recomeçar.
Mas é bom quando se quer recomeçar
e trás consigo esperança,
a esperança de que tudo vai melhorar.
Tomamos em nossas mãos a
propriedade de nossas vidas.
A gente cresce e nem percebe.
E a vida passa.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Silenciosa

Silenciosa chega a manhã.
Chove devagar,
ou melhor neblina.
Pingos, gotas caem 
das folhas.
As flores estão banhadas.
Do céu cinza pinga,
pingos suaves,
que banham a manhã,
está linda manhã
que antecede o feriado.
E a vida continua
silenciosa.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Cotidiano

Após o dia,
após mais um dia,
uns dormem, outros se divertem,
alguns nasceram e outros morreram.
E a história continuará seu desfecho.
O nosso cotidiano
as vezes parece tão medíocre,
mas é nele que temos que apegar,
pois é só ele que temos...
Tudo que temos
se passa no instante presente,
o eterno vir a ser.
Tudo que temos
não nos pertence,
pois nos é apenas emprestado,
nossa infância,
nossa juventude,
nossas forças,
nossas saúde,
temos, mas não sabemos até quando...
Felizes os que nascem e crescem
na graça de ter uma família,
casa e um cotidiano besta.
Porque quem não o teve,
adoraria ter,
para ser feliz.

domingo, 11 de novembro de 2012

A vida

Moiras=deusas que traçam o fio do destino

Que viver é uma arte, todos já sabemos.
Saber viver feliz é o que cultivamos diariamente.
No entanto não é possível ser sempre feliz. 
Aprender a viver bem é muito difícil, 
pois a vida tem seus labirintos, 
faces ocultas que não sabemos
como contornaremos
ou encararemos.
A vida se revela de forma diferente cada pessoas,
embora tenhamos experiências que nos norteie. 
O desfecho de cada história toma um rumo que lhe convém, 
muito embora possamos imaginar o que pode acontecer, 
mas não sabemos o que vai acontecer.

Fernando pessoa no seu maravilhoso poema TABACARIA,
cunhou uma frase maravilhosa.


"Sempre o impossível tão estúpido como o real".

É nesta frase que muitas vezes tento me apoiar diante das dificuldades:

"Sempre o impossível tão estúpido como o real".

Porque na vida muitas coisas não tem explicação.

E a sorte pode acontecer!


sábado, 10 de novembro de 2012

Após a noite

Após uma noite de chuva
o sol sempre aparece.
E quanto mais cedo ele surge,
mais viva parecem as ervas.
O solo perde a umidade.
Flores desabrocham tão plenas.
Quantos milhões de anos
isto já não aconteceu...
Mas fomos nós que demos
sentido aos dias
que se sucedem noites de chuva.
A vida é tão curta
para não curtir
os dias após a chuva.
A vida é tão curta,
embora muitas vezes
os momentos possam parecer
eternos ou ínfimos.

Ah, como é bom poder
ver, ouvir, sentir
a presença de um dia
após uma noite de chuva.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Chuva de inverno

Após chover a poeira apaga,
as sementes germinam,
os arbustos se vestem de folhas.
Após a chuva tudo fica verde,
e limpo e vivo.
Tanajura a voar,
sapo a coachar,
e os meninos a correr.
A vida a se refazer
e desfazer...
Tudo segue o movimento,
o tempo...
Chuva de inverno.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Noite de chuva

Quando é noite e chove, 
os pingos das goteiras
se quebram no chão
e ecoam em nossa alma.
Os pingos da chuva noturna,
não são transparentes,
são escuros e não são
silenciosos, cantam
para nossas almas.
A chuva tem o poder
de nos fazer adormecer.
Pingos caídos do céu escuro,
pingos de água fria, gelada
que caem e cantam e escorrem.
Pingos que inibem o cheiro noturno das flores brancas,
que faz as pessoas dormirem em paz,
que esfriam a noite de verão...
Quando é noite de chuva,
ah, minha cama cai como uma luva,
Durmo bem e feliz.

Estação


Após a chuva,
quando as nuvens
partem e o sol
aparece a vida
parece tão enérgica e plena.
Folhas verde viçosas
abre e se enxugam
a luz do sol.
Formigas caminham entorno do buraco.
O céu azul,
crianças alegres,
e o lago calmo, calmo.
A tarde cai deliciosa
e a vida passa alegre.
São sinais de mais uma
estação...

Manhã de chuva


A manhã de chuva é tão deliciosa.
O sol nem apareceu, os pingos 
desprendem das folhas e das flores,
o solo úmido é tão cheiroso.
As aves cantam e calam 
despreocupada com o dia.
No meu quarto, demoro
a levantar, os livros que me cercam
me chamam pra leitura,
o chá quente,
o som dos pingos da chuva.
Suave se torna o dia,
a vida parece uma poesia,
numa doce manhã de chuva.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

A mesma noite

A noite caiu nublada,
as estrelas não apareceram.
Só o escuro, a ausência
da face do sol.
A noite veio convidativa para
deitar e dormir...
Fresca e silenciosa.
Mas a vida moderna,
as luzes, a internet
e tantas coisas
para fazer,
por que se render a noite?
Sei lá, meus antepassados
o faziam
e vivam tão felizes...
As noites são as mesmas,
mas as pessoas e os hábitos
são completamente diferentes.
Chegará o dia
que seremos como
nossos antepassados
e a noite continuará a mesma.


domingo, 4 de novembro de 2012

Está de volta

Voltar a casa tão vivida,
tão amada. Rever as ruas,
as árvores as pessoas,
as construções...
Voltar a casa.
Despertar saudades,
despertar vida adormecida.
Ver as coisas
em seus lugares,
os lugares de bons
acontecidos,
momentos  maravilhosos vividos...
reviver... rememorar.
Como é bom está de volta.
Ouvir a voz e o rizo amigo,
ver as plantas queridas.
Queria voltar,
mas a vida segue seu curso,
mas a vida não dá uma
segunda chance, pois o preço
é muito caro.
A sensação de está de volta é tão
maravilhosa,
tão boa...
Estou feliz.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

São Paulo

O dia nublado e frio
é típical da capital,
típico de São Paulo.
Cidade de muita riqueza,
mas também cidade
de favelas, ruas, construções
tristes, cinzas e sujas.
Cidade onde o trânsito pára,
onde seus passageiros
são conduzido feito gado,
não se pode sequer falar,
não se pode respirar...
Uns de pé e outros
sentados...
Não se respeita
idosos ou crianças...
Quanta distância
a percorrer...
Esperar e viver,
E se cansar, não se pode
falar
aqui é a cidade mais rica,
e daí...

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Aniversário

Hoje é meu aniversário...
Os aniversários as vezes são momentos de pura reflexão.
Há quem fique feliz e quem fique triste.
Acho que estou no meio termo.
Ontem tinha 32 e hoje 33 anos...
E assim segue vida a fora,
mas com uma diferença,
com os anos, quem amamos
muitas vezes não está mais ao nossos lados.
Nossos avós, as vezes nossos pais...
O tempo e a distância se encarregam
desta separação.
Alguns partiram para outro mundo,
outro tem suas vidas.
Portanto, nem sempre teremos
quem amamos ou gostamos
ao nosso lado...
Nos aniversários...
Refletimos a realidade da vida.
Por isso é sempre bom
celebrar a vida, a saúde
o amor e as vitórias,
porque sempre
caminhamos para o fim,
sem fé ou esperança
a vida é um mar de trevas e solidão.
Viver esse dia tão belo,
dia de completude,
significativo para nós
é chegar abraçar a sabedoria,
porque tudo passa.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Ver e viver

Preciso aprender a ver o mundo.
Talvez se aprender a observar o mundo
possa compreender o que o compõe.
Vejo o dia e vejo a noite.
Percebo as coisas do dia
que são ocultas pela noite.
Entendo que são tantas
as possibilidades na vida.
Sei que não posso fazer tanta coisa
fisicamente, mas tenho uma mente
para sonhar, para voar, para ser o que quiser.
Posso inventar tanta coisa
para significar o meu mundo...
Temos que aprender a voar,
temos que tomar as rédeas
de nossa vida e voar.
E ver o mundo
tanto de dia quanto a noite.
Ver as cores, as formas,
sentir a vida.
É preciso ousar a viver
e ser protagonista da vida...
Entender a noite e o dia,
compreender o que se ver,
refletir e sonhar...
Ler Borges, Pessoa, Bandeira,
ou só pensar e criar como fazia
Patativa do Assaré...
Viver é conhecer.
Ver é conhecer,
mais nada.

Manhã de outubro

A noite partiu serena e fria.
A luz alumiava tenuemente a lua.
A brisa da manhã
entrou por minha janela
e me faz sentir bem.
E o sol surgiu
frágil como criança
e alumiou o dia.
O céu está tão limpo.
Outubro quase partiu,
este ano está tão quente...
Ao menos as manhãs
são frescas, vivas,
lindas...
Suave o dia começa
e a vida continua.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Cosmos

Quando o sol dobra o anglo das 15 horas aos poucos a tarde se perde, aos poucos a tarde esfria. A natureza rude do dia se dobra a mansidão da noite que esfria o mundo. Quando cai a tarde aves ativas se silenciam. E as coisas acontecem e as coisas caem no esquecimento e as objetos e a matéria ganha significado. Quando caímos em nós que somos seres construtores e nos sentimos felizes por isto...
E o tempo passa, às vezes que damos sentido a nossas vidas, nos sentimos felizes e não percebemos o passar da vida. E rememoramos tudo somente quando percebemos a natureza e percebemos no símples
porque o tempo sempre passará e as coisas acontecerão independente de nós. E assim é o cosmos.

Esperança ou sonho


A esperança se renova sempre. Como seria nossas vidas sem esperança?
Muitas coisas se revelavam para mim como símbolo de esperança. Datas comemorativas, o natal e fim de ano.
A vida é um campo a ser cultivado. Precisamos de esperança para continuarmos vivos. Precisamos de esperanças para alimentarmos nossos sonhos.
Acho que podemos pensar assim.
Perceber que tudo que planejamos é como  se víssemos nossos campos plantados florescendo. É sentir que logo poderemos colher nossos frutos. Nos enchemos de esperança quando vemos que algo está dando certo, quando percebemos as coisas fluírem. A vida é uma batalha onde vencemos muitas lutas, ou nem sempre conseguimos, mas temos objetivos maiores. Nossos sonhos são nossas maiores fontes.
E assim a vida continua. É triste perceber que investimos muita energia em algo que não vingou até nos frustamos, mas a vida nos ensina que tudo isso irá nos tornar experientes.
Trabalhe em seu campo e cultivará boa colheitas.

Glória a Deus!?


Somos seres superiores?
Não creio na nossa superioridade, mesmo conhecendo a capacidade humana de criar. Este poder de criação no entanto tando pode ser para o bem como pode ser para o mal. O que nos leva a sermos bons e o que nos leva a sermos maus?
Como podemos crer no homem quando alguém arrebanha um grupo em nome de Deus quando sabemos que estas pessoas estão interessadas em obter recursos e não altruísmo.
É muito fácil falar na bondade ou a punição de Deus quando se tem um bom emprego e se frequenta igrejas onde parece mais clubes de festas sociais.
Onde ora-se e chora e agradece a Deus e discute-se a bíblia...
Onde ficam as ações.
Somos seres superiores? Não creio que sejamos. Vivendo e vendo tantas cosias não creio na bondade dos pastores...
Só a vida nos ensina... e só ela nos revela quem somos.
Serei eu melhor que os outros seres? 
Cada dia creio menos, até queria ser otimista como Ruben Alves, mas...
Não creio na nossa superioridade e nem na nossa semelhança com Deus.
Crês?

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Que pesco a tarde?


Quando cai a tarde,
e junto a ela o crepúsculo.
O lago espelhado
ou ondulado abriga
peixes e pescadores.
Enquanto o sol vai partindo,
a brisa soprando
e a vida dirimindo.
Passos, pesca e olhar perdido.
Remo, riso, vôo.
A vida vai seguindo.

As pessoas se refugiam
no lago
que abraça a todos os olhares...
Um ou outro peixe saem da água,
quase nada.
Caminho, vejo as plantas,
o lago,
casa e as pessoas,
as vezes revejo,
ou não.
E a vida segue,
e as tardes seguem
no lago
e a vida continua,
partindo,
dirimindo.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Sertão vivo

Vivo,
vivo é o sertão.
Quando cai a chuva.
Rolam as pedras riacho abaixo.
Canta a juriti.
E os campos cinzas
logo de verde se veste.
E todo o sofrimento da estiagem é esquecido.
Cada dia tem menos gente no sertão.
Cada dia mais aumenta o vazio no sertão.
Todas as memórias são apagadas.
O tempo faz tudo sumir...
Guardo no peito
um sertão
as vezes belo,
as vezes cinzento...
O sertão é como a vida
grande e cheio de mistérios,
as vezes curto e descoberto...
Vivo o sertão sempre está vivo.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Outubro

É dia anuncia o despertador.
Outubro mês de pesos iguais.
O dia tanto pode arder
em calor, como pode
cair um temporal.
Os flamboiãs
estão encarnados de flores.
Lembro de barão
quando vejo estas paisagens,
e o tempo e a estação
se revela pra mim.
Descobri que a vida é passageira
passando pela vida.
Então só nos resta viver.
Só nos resta viver felizes.
Mais nada.
Mais um dia se outubro se passa
e os anos passam juntos.
Os anos começa para quem nasce
e terminam pra quem morre...
Outros outubros virão,
outros outubros virão.
Que cada um tenha
o outubro que lhe convenham.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Canto do Grilo

O grilo grilado canta
noite adentro.
No canto úmido da casa
canta. cri cri cri...
E a noite negra
oculta o grilo negro.
E a noite vai partindo,
conduzindo o velho
ao novo dia.
Um dia a menos
na semana, no mês e no ano.
E a noite e o grilo
cantarão amanhã
no mesmo lugar.
Não sei se estarei aqui
para ouvi-lo,
não sei o quanto vai durar
a cantarola do grilo.
Certamente, ele cantará
por toda sua vida,
não terei todas
as noites para ouvi-lo...
Mas o grilo canta
meus últimos dias
dos meus 32 anos.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Dramas da vida

O nosso mundo às vezes perde as cores.
Ficamos tão sensíveis e fracos.
Mas o que fazer para reagir a estes
sentimentos?
Uma conversa,
uma oração,
uma droga...
Cada um tem uma experiência
que o salva ou o faz afundar.
A música acalma a alma.
Caminhar para refletir...
A vida é tão complexa,
e nós seres vivos
mais complexos ainda.
Seguir a vida,
tentar suportar os carmas
quem sabe valerá a pena
a renunciar.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A tarde no Lago


Quando a tarde cai
sigo para o lago.
Vejo plantas,
vejo flores,
vejo o espelho das águas
às vezes calma,
às vezes ondulante.
Vejo o céu azul,
vejo o crepúsculo
e vejo o dia que quase passou.
vejo a linha plana da água,
pessoas caminhando,
pessoas pescando.
Tem dias que aparece muita gente,
geralmente quando é tarde de sol.
Quando é tarde de chuva não aparece
quase ninguém.
As pessoas adoram o lago,
as águas do lago parecem acalma-las.
Ontem, foi uma tarde tão
gostosa o sol brilhava
e ventava do poente,
senti muito feliz.
As crianças que ali corriam também.
As aves voavam de lá pra cá,
voavam na altura das águas...
Quando é tarde descarrego minha vida no lago.


quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Infinita beleza

Cada um tem um sonho.
Alguns tem sonhos tão grandes,
outros sonhos tão pequenos.
O importante é que se tenha sonhos.
Quando se sonha
é possível fazer o impossível.
Um joão-de-barro não
sabe engenharia, nem é pedreiro,
as sua casa é uma obra de arte.
Trabalha sem parar,
trabalhar sempre a cantar.
Quem dera fossemos joões-de-barros.
Mas somos humanos,
parece que carregamos problemas,
cansaço... Estamos sempre querendo
mesmo sem trabalhar...
Só sabemos poluir.
Sonhos precisamos de sonhos,
precisamos observar
a natureza...
Tudo é tão efêmero,
por isso queremos poder consumir tudo?
Não somos mesmo ignorantes.
A vida assim não nos permitirá
termos netos...
Sonhos, mas consciente,
consumo consciente...
E o joão-de-barro não tá nem ai.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A noite passada


A noite caiu silenciosa.
Aos poucos as nuvens escuras
ofuscaram o brilho das estrelas
e se derramaram em chuva.
Não se ouviam grilos,
não se ouvia nada
além do quebrar
das águas da biqueira.
Choveu, choveu, choveu sem parar.
Enquanto pessoas descansavam,
enquanto pessoas sonhavam.
Pela manhã
o cheiro de umidade onipresente,
alegraram minha alma,
calçadas lavadas,
tanajuras mortas
e o lixo desceu correnteza
abaixo tapando boeiros...
As flores desabrocharam
indiferentes a noite passada.
Na noite passada
quantas coisas 
não aconteceram.
Fatos continuam acontecendo,
junto a vida, junto a existência...

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Meio vida e ambiente!

A noite caiu escura
coberta de negras nuvens.
A brisa soprava suave
trazendo o aroma
do tempo, do fumo dos escapes dos carros.

Noite escura,
noite dura.

O dia que passou
foi quente, de sol,
de carros ligados
emitindo calor e fumaça...

O mundo não ta de graça,
é lenha, é fogo,
e represas e plantações.
Cadê os animais?

A noite sempre caiu escura,
nas nunca caiu tão sem vida....

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

O tempo

O tempo

O tempo é como um rio
que corre sem parar.
O tempo em seu fluxo
a passar apaga
de nossas memórias
as coisas boas e ruins.
O tempo não deixa prova
não deixa marcas
é a matéria que se desgasta.

No tempo tantas coisas são realizadas,
histórias se iniciam,
desenrolam e se acabam.

Apenas as memórias
podem eternizar
o tempo e suas faces...

O tempo é para ser consumido,
visto que é curto
e único...
O passado é a substância
do tempo
e o presente
é parte do tempo que podemos
manipular
ou nada.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Mais um dia


E mais um dia se foi,
mais um dia que virou passado,
menos um dia em minha existência.
O passado é a substância que compõe o tempo.
Tudo que regeu a minha vida hoje,
não fará sentido amanhã...
Outras pessoas, outras situações...
As pessoas queridas habitarão sempre
meu coração
e espero apagar de minha mente
as que não me querem bem.
Mais um dia se foi.
Quão útil é um dia na existência de uma vida?
O sol nasceu e o sol se pôs.
Neste intervalo de tempo 
quantas coisas não aconteceram,
quantas coisas não ganharam existência
e quantas coisas não se perderam...
O mundo é tão imenso,
mas o mundo que vejo é tão curto
vai apenas onde consigo enxergar...
E a vida se passa dia dia.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Dia no cerrado

O sol é cada dia mais quente
que primavera diferente.
Poucas chuvas caíram
o barro já se desprende
em poeira fofa e vermelha.
Plantas verdejantes
e floridas...
Cerrado árduo
ao meio dia.
O sol só quebra a crista
depois das quatro da tarde...
As rochas ardem
e o dia passa e cansados
com o dia nos vamos.

sábado, 6 de outubro de 2012

Cursos da vida

Devemos seguir em frente,
a vida acontece no instante presente.
Não adianta olhar para trás.
Não adianta tentar ver o que passou,
Caminho caminhado é passado.
Temos que olhar para o caminho que iremos
caminhar,
olhar em frente e tentar esquecer tudo que passou...
O passado guarda tantas vertentes,
tantas possibilidades ocultas.
Se tivesse feito isso ou aquilo, como seria minha vida?
Esquece o passado, pois trata-se de paixões perdidas.
Mira o presente...
Vive o presente...
As boas e más coisas passaram,
não existem mais, são comparáveis a sonhos.

A vida é pragmática,
não fiques parado perante a vida.
Segue em frente.
Se algo te frustou ou te deixou feliz,
amanhã passará...




A vida é um rio que tem um curso certo
sempre se derrama no mar...




O fim todos conhecemos,
mas até lá podemos mudar muitas coisas.

Teia

O mundo que me cerca é tão complexo.
Neste mundo tudo posso encontrar.
Posso encontrar coisas que me fazem sentir bem
e coisas que me fazem sentir mal.
Normalmente as coisas que me fazem sentir bem,
trazem uma sensação de bem está.
Coisas lindas e mágicas como um por do sol,
uma aurora, uma noite clara enluarada,
uma noite estrelada.
Coisas que o outro não possa tocar
e destruir.
As coisas que me fazem sentir mal,
nem sempre poderão dar a mesma sensação no outro.
Desordem, lixo, mal educação...
São tantas coisas de origem humana.
Os dias passam e muitas vezes
tenho a sensação que serei forte e vencerei,
outras tenho a sensação que já perdi.
E fico calado, não sei tratar as pessoas,
e as coisas.
Não há um mundo só pra mim,
não existe um mundo maravilhoso,
além das minhas ideias.
Não vou fugir, mas não reagirei...

Que felizes dão os pássaros livres a voa e cantar.
Que felizes são as baleias que tem todo o oceano para nadar.

Que felizes são as crianças a brincar
sem noção de razão, vivem intensamente a vida.

Mas nós. Nós aprendemos a realidade crua da vida,
onde a beleza que deveria ser para todos
as vezes nem o é.
Uma lua cheia, um jardim florido...
Sei lá.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Recomeçar



É preciso recomeçar sempre.
A natureza que é sábia ensina
a suas partes que é preciso mudar
para sobreviver as adversidades do mundo.
As árvores perdem as folhas,
as aves migram para outros lugares.
E nós que devemos fazer
para suportar as adversidades da vida?
Buscar uma religião?
Casar?
Viajar?
Ir ao psiquiatra?
Podemos fazer tantas coisas ou não fazer nada.
Mas não fazer nada é renunciar a vida, querer morrer.

Recomeçar é perceber que sempre melhorar.
Podemos melhorar tantas coisas na vida.
Primeiro podemos perseguir o que nos faz feliz.
São tantas coisas que nos podem fazer felizes.

Quando mudamos de lugar temos que recomeçar,
e como sei disso não é fácil recomeçar.
Olho para a tarde como parceira da vida,
olho para a natureza pois com relação
as pessoas são todas estranhas...

Recomeçar, construir e ser.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A vida

A vida não cessa de passar.
Quem pode parar e cristalizar a vida?
Não podemos prever o que nos acontecerá no amanhã,
pois não temos domínio nem certeza do que virá.
Pode nos acontecer algo de maravilhoso,
mas também algo de impiedoso.
Cada instante que se passa em minha vida,
tenho plena certeza que é um tempo
subtraído. Nosso tempo está passando,
por isso não devemos perder tempo
com coisas futéis, preocupações com o amanhã.

A vida é uma caminhada curta
sobre dunas onde nossas pegadas
são apagadas pelo vento tão brevemente.
Tudo na vida é tão passageiro.

Muitas vezes não percebemos
e deixamos que a vida 
passe sem empolgação sem amor.

Muitas vezes vivemos no mundo
platônico, vivemos crendo
na mediocridade de nossas vidas
sem crer que as mudanças ocorrem no dia-a-dia.

O vento sopra e nossas pegadas
somem da areia...
O amanhã é inseguro demais,
não nos pertence, nem o ontem.
A única coisa que tempos é o momento
presente em que acontecem as coisas.
é o fogo que queimando correm
em direção a bomba e a explosão....

Somos grãos de areia levados
ao vento...

A vida costuma ser traiçoeira,
mas vale a pena ser vivida.

Vale a pena ver cada aurora,
cada pino do meio dia,
cada crepúsculo,
cada lua cheia,
cada desabrochar da flor,
cada coisa simples
como o riso da criança,
uma grande amizade...

Ah, a vida...

Por que criamos tantos mitos e paixões?
Por que simples mente não vivemos?

Sabe-se lá...
A vida vale a pena.

Além



Além do mar,
onde o sol desaparece.
Além da linha do horizonte,
que podemos encontrar?
Posso ver daqui
o céu encarnado
feito brasas acesas.
O espelho da água
na areia reflete o laranja
do sol...
É o fim de tarde...
é o fim do dia.
Até quando terei outra tarde?
Além do mar o sol desaparece.
Além da linha do horizonte.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Além do mar da alma


Além do mar,
além de minha alma.
O mar é agitado,
mas quando olhamos para o horizonte,
vemos uma linha calma.
Será se encontramos
linha semelhante em nossa alma?
Além do horizonte que há?
Que há além da alma?
No compasso de cada onda,
no compasso de coisa que se passa na vida...
O vento sopra e refrigera a areia e a nossa alma.

Além do mar de nossa alma que há?

Outra tarde



É fim de tarde e nos fins de tarde estamos cansados.
Fazemos qualquer coisa para esquecer o fim de mais um dia.
No fim da tarde, quando o sol tinge tudo de encarnado.
Saio para caminhar e pensar um pouco.
Saio sempre só. Estou sempre tão só,
mas nos fins de tarde sou ainda mais só.
Saio caminhando pelas calçadas,
cruzo a braquiária, o viaduto,
caminhos tortos enquanto sou observado
por passageiros de ônibus ou donos egoístas de carros.
Sigo como um objeto que caminha, não chamo atenção
de ninguém sou quase invisível.
Então chego ao fim do lago, onde pessoas fingem pescar,
onde o mau cheiro e o lixo estão presentes.
Chego a passarela...
Enquanto isso o sol vai sumindo lentamente.
Na passarela vi e vejo tantas pessoas.
Pessoas preocupada em perder peso,
outras preocupadas em esquecer as preocupações,
outras tentando pescar, outras se beijando, outras caminhando...
Tantas pessoas.
Já vi coisas engraçadas como o nadar das capivaras que chamam
atenção.
O lago expressa as emoções do vento,
há dias que está claro como um espelho,
outros dias agitados,
outros dias quente,
outros dias frio... O lago sempre me encanta,
e encanta muitos que lá vão ver o sol desaparecer no
espelho de suas águas
ou vão para ver a lua caminhar
no ondulegar de suas águas.
E a noite cai e eu penso, e eu vivo, e eu respiro
e volto para casa onde paro para
me preparar para outro dia...

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Noite

Noite de lua cheia,
a brisa frouxa
sopra com o tempo.

Jardins escuros,
noite vazia.

É primavera.
Noite fria de primavera.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Incerteza do tempo


Assim como o dia se vai,
o ano segue o mesmo caminho.
Outubro chegou e o ano quase acabou.
Muitas histórias iniciaram
e muitas findaram, partiram se definindo.
Não sabemos que há além do amanhã,
muito menos o que há além do dia.
O crepúsculo é tão belo.
O fim de um dia e a perspectiva de um novo dia.
A consciência que nos chega com a idade,
chega anunciando que a qualquer
momento pode ser o último.

Oh, crepúsculo de minha vida.
Enchei de beleza minha poesia.
Não posso querer pisar no solo do amanhã,
pois é incerto
como a vida é incerta.
Breve como o tempo.

Insônia


Quando é noite profunda e todos dormem. Tudo é silêncio. Apago a luz com intenção de dormir, mas a luz que atravessa as frestas da janela e meus pensamentos ativos não me permitem dormir. Sinto calor ou frio. Acendo a luz, escrevo algo,  leio... apago a luz, mas o sono não chega. Fico deitado pensando, pensando... Grilos cantam, estrelas brilham. Oh, vida contemporânea. Como haveremos de viver com tantos problemas, pensamentos...
Penso no passado, penso no futuro. Penso...
Até que tenha sono chegue, meu Deus leva tempo.
E a madrugada chega e o sono onde foi?
Quando é dia, sinto sono, mas já é tarde demais para dormir.


domingo, 30 de setembro de 2012

Subjetivismo




Muitas vezes quando nos sentimos só, nos sentimos também tristes e reduzidos. Neste mundo tão grande e maravilhoso há espaço para a solidão. Somos seres por natureza solitários. Cada um tem o seu universo, seus pensamentos e suas manias. Mas há dias que a gente acorda e se sente só no mundo, sentimos uma dor no peito, um vazio. Percebemos que as pessoas que mais amamos vão para muito distante e sentimos a falta do amor. Andamos perdidos, com o olhar desolado. Matutamos feito aves solitárias. Cada um matuta sobre o mundo que conhece.
Chegamos sentir saudades dos momentos vividos. As histórias que ficam impregnadas na memória e materializadas na matéria.
Dito isto, desenvolvi o hábito de observar. Observo as formas, as cores e os comportamentos e assim descubro mais do mundo. Mundo além de minha solidão.
Não faz muito tempo que percebi que faço parte da natureza que sou natureza.
O mundo tem me revelado tão sólido, e as relações tão líquidas e as situações tão plásticas.
Mas minha viagem chega ao fim resta a ti reflexão e fuga da solidão.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

O que somos?



O que somos?

Acho que somos um pouco de tudo que tentamos ser.
Um dia acreditei que meus sonhos poderia se tornar realidade.
Tive tanta convicção de que meus sonhos eram realidade que se tornaram realidade.
Sempre tive a alma de criança, em acreditar nos meus faz de conta.
Antes de dormir eu rezava baixo só para mim, pedindo a Deus por aquela benção.
"Deus me ensine sempre a seguir em frente a acreditar sempre nos meus sonhos".
Não sei de onde veio-me tal ideia, talvez com ao ver meus pais rezarem antes de dormir.
Sempre acreditei muito na fé deles e através desta construí a minha fé.

Isso é uma peculiaridade minha, mas tens alguma peculiaridade?
O mundo existe além de nós e continua mesmo na nossa ausência.
Só tomamos consciência disso, às vezes muito tarde.
Às vezes que tomamos esta consciência, pensamos poderia ter sido diferente.
Muitas coisas poderiam terem sido diferentes em nossas vida,
mas estas aconteceram mesmo de maneira torta, mas acontecem.

Os atos tornam-se fatos e para que aconteça é necessário vontade de poder,
força de viver, preparação...

Os mais lindos ipês para florir sofrem as adversidades da natureza,
seca, chuva, vento e luminosidade, mas permanecem fixos
resistentes até que a natureza permita o surgimento das flores
e a fecundação desta e por fim o surgimento dos frutos e sementes.
E as sementes iniciam todo o ciclo.

Somos apenas sementes dando continuidade aos ciclos.
Seria uma desgraça não acreditar em nossos sonhos...
Seria uma desgraça desistir de ser semente.

A cada um é dado o livre arbítrio das escolhas,
embora a vida não seja generosa com todos, embora seja muitas vezes traiçoeira,
mas não podemos fugir.
É só através da vida que descobrimos quem ou o que somos.



Foto

O tempo passa
e nos distância da nossa infância.
O tempo nos ensina que a vida é orgânica.
Ainda ontem brincava de faz de conta.
Nem sabia ler, nem sabia que era viver. Vivia.
Ainda ontem meu pai era forte e novo.
Ainda ontem estive em casa
e vi que o tempo deixa marcas
mais fortes em meu pai que em mim.
O andar curto já arrasta o chinelo.
Mas quando volto a casa, parece que nunca sai dela.
Olhava a lua
que parece mais jovem que nunca
enquanto o cachorro cochilava na estrada
e papai como sempre preocupado
que um carro desgovernado acabasse
com aquela pobre vida sai para espantar
aquele cachorro.
Ergueu da cadeira e saiu bem devagar
sem gritar, parecia que ia encontrar a lua.
E foi lá e espantou
e tomei a foto sem que percebesse.
Que grande é o coração de meu pai
que impiedoso é o tempo.
A foto, imagem com memória, revela
que o tempo passa para todos nós.
Algumas coisas continuam...
Algumas coisas simplesmente perpetua.
Coisas que gênios como Mozart, Beethoven,
Gogh, Nietzsche, Borges...
O tempo não consegue apagar...
Ah, mas eu, mau morri
e sequer sou conhecido...
E o tempo apaga tudo,
corpo, memórias e alma. 

Dama da noite

Quando o dia acaba
e a natureza se recata
chega a noite.
Depois de mais um dia,
a noite chega iluminada
pela lua.
Como é linda a lua...
A lua embeleza qualquer lugar.

E quando a noite finalmente chegou
a lua iluminou o lago.

E quando o lago refletiu
a luz lunar no espelho da água
podia se ver um caminho
ondulando...

Não me senti só,
podia me guiar pela luz
lunar...

Divagando


Manhã ensolarada de nuvens e brisa frouxas.
Manhã gostosa de sexta-feira...
Um João-de-barro caminha
Contente sobre a palha e o chão.
Bambos nus, amarelos e verdes,
Mimosas desfloradas, de folhas desbotadas.
E a brisa acaricia as folhas das árvores
E a bandeira da nossa pátria.
Uma nuvem passa apaga levemente
O sol que parece ressurgir mais intenso.
Depois de poucas chuvas a grama começa
A aparecer.
E mais uma linda manhã desfia
A minha frente, enchendo
Minha meu ente de alegria.
Bom dia.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Lua

Quando a noite cai enluarada.
Os vales, as montanhas
e as planícies ficam inundadas
da fria luz branca da lua.
A coruja canta tarde da noite,
e logo chega o vento de açoite.
E quando fica tarde da noite,
a natureza viva se movimenta,
formigas a forragear,
corujas a cantar
e morcegos a voar...
Toda a natureza permanece clara,
toda a natureza permanece calma.
E as ondas que quebram na praia
foram um espelho de água na areia.

É noite, noite de lua cheia...

Flores brancas desabrocharam,
flores brancas perfumaram
para nix, a deusa da noite.
E a noite segue bela e eterna.

E outra noite de lua cheia.
A mesma lua que enamorou
meus avós, meus pais
e me enamora...
A lua será sempre bela,
sempre esteve lá
e nós somos meros observadores,
embalados em amores
até o fim de nossa espécie.

Eternidade


Nasce mais um dia,
mas uma lida pela frente...
E a manhã vai passando
a tarde chegando...
Tudo vai passando
e nem percebemos
que a vida passa.
Só quando contamos
os anos que vivemos
ou paramos em frente
ao espelho que o tempo
deixa marcas.

Mais um dia nasce,
mais um dia partiu
e entrou na eternidade
como tantos anos
que se dissolveram
no tempo...

As manhãs sempre passarão
os dias também,
mas nós vamos ficando,
vamos envelhecendo,
se apagando
como o dia no ocaso
até que somos esquecidos
e as manhãs
sempre nascerão
eternamente.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Primavera


 Quando é primavera,
as manhãs são sempre mais belas.
As flores desabrocham em
ervas e árvores.
O sol e o céu são tão limpos.
Campos aromatizados.
Os pássaros fazem seus ninhos
e cantam com tanta vida e harmonia.
Ah, a natureza toda se enfeita.
Ontem na volta pra casa
vi  uma árvore florida.
Toda coberta de
flores brancas perfumadas.
Senti alegria em viver,
senti quão maravilhosa é a existência.
As flores e as aves dão graça pela vida.
Cada uma flor,
cada uma doce flor,
que vejo desabrochar.
Não tenho palavras para explicar
mas sei que quando vejo.

soa a mais bela melodia
criada por Mozart
e é como se os campos
desabrochassem
em flores
como se tudo
se tornasse primavera...
Como é doce, meiga e porque não maravilhosa...
A primavera.
As flores são visitadas
por borboletas
e beija-flores
E tudo é tão belo.

E hoje algo me faz mais feliz
mesmo diante da solidão
ouço  uma doce melodia e quando se acaba
fica apenas o silêncio.
E o dia segue vivo.

Tim Maia http://www.youtube.com/watch?v=7T4gzCpQKgg

Manhã

Cordia glabrata

O dia nasceu fresco,
nuvens desfiam e desfilam no céu.
As aves cantam sem parar,
parecem celebrar a chuva
da tarde anterior.
No chão fresco e úmido,
germinam as sementes
adormecidas, crescem os ramos
das ervas vivas.
A grande paineira,
o mogno se cobrem de folhas.
Jovens folhas coloridas.

Longe candam quero-queros,
andorinhas e tantas outras aves.

Nem ouço o que toca no rádio.

Estou distante. Vivo, mas distante...

Nesta manhã fresca,
tenho tantas imagens
relembradas...

Canto do sabiá, do rouxinó...

A vida é curta
e as manhãs maravilhosas
um respiro de esperança...

Que doce que é essa manhã de primavera.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Universo















O universo cabe em meu verso.
Pobre verso quem sabe infinito.
As vezes bonito e sem vida.
As vezes feio, mas cheio de vida.
O universo azul, azul marinho
é tão belo.
De noite estrelado,
de dia apagado.
A luz do sol tudo revela,
as flores, as cores e as formas.
A luz do sol é energia e é vida.
O mar azul, o céu azul.
Ah, ponho o universo em meus versos.
Versos tênues como semente germinando,
pus tanta coisas nos meus verso.
Tentei dar vida, mas não pude dar vida,
cabe a ti somente a ti doar-lhes ar.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Tarde harmoniosa


Quando chega o fim da tarde,
depois do dia perder força,
depois daquela chuvinha.
Como é bom caminhar
ou não fazer nada.
Ouvir Schumann ou o sabiá cantar.
Sentimos a vida tão leve, sem nenhum pesar,
tão agradável.
E se saio para caminhar
sinto os aromas,
vejo as formas molhadas.
E a tarde preguiçosa
mergulha na sombra da noite
e a alma dorme calma.

http://www.youtube.com/watch?v=4fR17bJl2ow

domingo, 23 de setembro de 2012

Nascimento

http://www.youtube.com/watch?v=KRbfFQPaHs4


VENTO NORDESTE - 1979




Nasci numa noite enluarada de verão que de certo o vento nordeste ventava. Era uma noite de quinta feira. Não sei por onde papai estava,
mas mamãe me paria na maternidade "Dr." Manuel Vilaça.  
Às oito horas da noite 1 de novembro de 1979 pela primeira vez vi a luz
do quarto, só  no dia seguinte vi a luz solar.
logo fui amamentado e dormi muito.
Voltei à casa onde fui gerado e já não era mais parte do corpo de minha minha mãe que doou todo o seu amor a mim.
Fui festejado e visitado por todos entes amados.
Riram de felicidade por minha vida a existência.
Era apenas mais um ser sem compreender o mundo em minha volta.
Era apenas uma expressão da vida se desenvolvendo sem nada compreender aos cuidados de meus pais.
Apenas me alimentava e dormia sem nada compreender.
Muito tempo se passou e a casa que me abrigou, abrigou muitos outros e hoje não existe mais, virou pó e as memórias se apagam lentamente.
Partimos muito cedo dali, para o lugar onde cresci e aprendi a apreender o mundo.
Sai do Sítio de fora para Serrinha do Canto... 
Onde cresci sob o amor paterno, mas cresci como cresce uma erva no meio do campo.
Cresci rodeado pela natureza viva, plantas e animais...
Ali, aprendi a sentir, viver e ser do mundo.
Aquele mundo de apenas duas estações a de chuva e a de inverno.
Mundo onde a mais harmoniosa melodia era a das aves que eram quem muitas vezes encantava nas casas entisnadas pela queima da madeira para cozinhar o feijão, o arroz e o toucinho.
Aprendi sobre a vida com a vida.
A natureza aquilo que mais me encantava, aquilo de mais moderno que existia e nós não sabíamos. 
Fui sempre pragmático, aprendi fazendo. Aprendi ajudando minha mãe e meu pai com as lidas da casa.
Ajudei no plantio e na colheita,  na criação dos bichos.
Aprendi a respeitar  os idosos e professores.
Aprendi a me virar e a viver naquele lugar.
Tinha muitos amigos com quem vivi e compartilhei uma vida semelhante.
Eles estavam lá, com suas grandes famílias e dificuldades, mas todos cuidavam de todos. Eramos uma grande família.

Não me lembro a noite que nasci.
Sei que era verão e que o céu estava plenilúnio.
Que a poeira tingia de vermelho os caminhos e os pés dos burros e pedestres.
Nasci só, mas cresci entre muitos
num lugar tão pequeno, mas tão grande para um ser crescer.
Este lugar pequeno que tanto foi habitado aos poucos desaparece.
O vento leva aos poucos as vistas e as almas.
E a terra consumiu e consome aos corpos e as almas.
Hoje  os adultos de minha infância dormem lado a lado.
Já são tantos os que partiram
que parece que estou longe na viagem de minha vida.
Meus avós e alguns tios que sentiram-se feliz quando  nasci já
partiram também ou e apenas dormem à sombra da eternidade.
Dormem com suas histórias que nunca mais serão contadas por falta de memórias.
As histórias desaparecem com seus protagonistas.
E o que faço com minha história que nem sei contar?
Nasci e desde que nasci não paro de caminhar, já passei por tantos lugares, conheci tantas belezas, mesmo assim não paro de
trilhar esta jornada que é a vida...