quinta-feira, 29 de julho de 2010

Viagem pantanal do Araguaia

Uma viagem ao interior do Mato Grosso!
Uma deliciosa viagem ao Parque Estadual Novo Santo Antônio.
Um lugar lindo cortado pelo rio das Morte, um rio cheio de piranhas, peixes, jacarés e histórias.
Foram oito dias, destes quatro dentro de ônibus e nas rodoviárias.
Primeiro dia sai na quinta-feira dia 23 de julho da rodoviária de Campinas com destino a Barra do Garças quando cheguei no dia seguinte. Ao chegar em Barra tomei uma van para Nova Xavantina onde dormi e fiquei o dia de sábado. Domingo muito cedo tomei uma carona até meu destino final.
Nesse trajeto tinha muita poeira, desmatamento e gente humilde e bonita. Almoçamos em Ribeirão Cascalheira e chegamos a Novo Santo Antônio pelas três da tarde. Fomos ao parque lindo. Sem eletricidade a sede fica a menos de 300m do rio onde meus colegas pescaram algumas pinranhas. No dia seguinte finalmente fui coletar e para minha surpresa encontrei nos campos de murundus populações enormes de Tephrosia nitens. coletei muitas e tirei muitas fotos. Terça feira fui pra campo e decidi retornar.
Na mesma tarde voltei para a cidade onde fiquei num hotel simples, mas de janta tinha peixe frito e cozido comi bastante. Bem dormi muito pouco visto que o ônibus partia de lá as quatro da madrugada. Tomei o ônibus ainda escuro. Estrada ruim, muita poeira, mas muita gente simpática. Cheiguei em Ribeirão cascalheira as 9:20 e tive que aguardar até as quatro horas. Tomei dois banhos, no segundo casou-me espanto a maneira como a mãe brigava com o filho, mandando o filho ir tomar no... casou-me tristeza... ignorância. O tempo se arrastou, mas passou e as quatro tomei o onibus para Goiânia quando cheguei as cinco horas. Onde tive que esperar até as oito da manhã. Por fim cheguei a Campinas as 9:30 acabara minha aventura.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

nitens

Vou para o Mato Grosso!
Coletar Tephrosia nitens.
vou viajar.
em busca de uma planta.

terça-feira, 20 de julho de 2010

O almoço


O almoço

Moço por favor.
Trás uma coca, de garrafinha.

E voces o que vão querer?

Bem conversas paralelas na mesa.

Fiquei na ponta.

Não tem como sentar perto, pois é voce ficou longe.

Calado.

Vamos lá nos servir.

Nossa quanta comida que delícia.

Enquanto comemos vemos tv, ou falamos trivialidades.

A sobremesa é o melhor.

Pena enchi demais.

Acho que é a comida que ta muito salgada.

Mas ta uma delícia.


Parabéns professora.


Pode deixar que eu pago!

Magina.

Pegue!

Muito obrigado.

o café

Um café alimenta minha alma,
seu aroma, seu calor e sua cor.

Um café bem quente,
por favor, para meus amigos.

Pra mim pode ser um sorvete de café.

Nesse país tropical,
nesse país rural,

descendentes de café com leite,
português, negro e índio.

Um café arabe,
uma rede indigina,
um bom sarapaté.

e depois um bom café,
mais bem quente.

identidade

O que eu sou afinal?
Eu no transcorrer da minha vida venho buscando uma identidade. Não é que eu tenha perdido não tenho mesmo e tudo que sou, tudo que tenho não me pertence porque ainda não sou.
Busco sedento por uma idéia que ilumine a minha mente aquela idéia que encha minha vida de felicidade.
Já sai de casa faz um bom tempo. Conheci lugares, pessoas e culturas, mas pouco me identifiquei com tais coisas. Cada vez que vou para um novo lugar, me vejo mais próximo de onde eu sai, mais parecido com o que vivi.
Eu ando errante, sob o sol em busca de sombra, em busca de água pra matar minha sede e de comida pra matar minha fome. Necessidades que para mim refletem na necessidade do saber. Viver neste mundo cheio de conceitos, de informações, de seres humanos as vezes me cansa. Não estou querendo negar minha origem como ser, mas num mundo tão irracional, competitivo as vezes sinto que vou ser extinto.
Acho que talvez não encontre uma identidade, mas até lá. Quero ser maior que o mundo em minha volta.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Conselho!

Hoje comentei com Ana sobre minha capacidade parva de escrever e ela simplesmente falou que eu deveria escrever porque gosto e não porque os outros haverão de gostar.
Bem parei para pensar e conclui que ela está certa, devo escrever pra mim, pois quero compreender-me, conhecer a mim mesmo.
Suas palavras trouxeram alívio e felicidade para meu ser.
Sinto-me em paz e dormirei muito bem hoje.

domingo, 18 de julho de 2010

Horizonte

Vejo no horizonte,
a resposta para minha vida,
tenho sede de seguir em frente,
tenho sede de descoberta,
descobertas cada vez mais distante,
quantas vezes me perco,
quantas vezes cruzo o mesmo lugar,
mesmo assim sigo em frente,
porque não sei o que irá acontecer,
não fico estático,
caminho para pensar,
nao penso em parar,
sigo em frente,
em busca do horizonte...

perder

Quantas vezes sinto que estou perdido em minhas atitudes, meu trabalho e na minha existência. Isso muitas vezes me incomodo, pois percebo a vida passar e parece esta passa por mim indiferente.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Passagem

Quando no fio do horizonte surge o sol,
sua luz acende o dia,
essa luz se espalha e ilumina todos os espaços e
a todos os seres.
Aos poucos essa energia pulsa e aquece a matéria.
E o sol caminha lentamente do nascente ao poente,
demarcando o nosso tempo, nossa vida.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Manhã

Sentado, viajando em meus pensamentos, olhava pela janela os ramos das árvores a dançar com o vento. O sol se escondia atrás das nuvens que levadas ao vento brincavam de esconder. A tênue luz do dia entrava em minha retina.

Que linda essa paisagem.
Como me faz viajar no tempo e no pensamento.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Amar a chuva

Há coisa mais gostosa que curtir a vida?
Hoje, quarta-feira, acordei cedo, tomei o café e depois o banho. Garoava, a rua estava molhada, as telhas soavam os pingos da chuva que escoavam pela biqueira abaixo. Peguei meu guardachuva e fui para a universidade. Estava mais escuro que os outros dias. Ouvia o rádio trocava de estações cbn, bandnews e Antena1. Fiquei feliz quando ouvi a voz do Barbeiro que estava de férias. Enquanto ouvia as notícias, além destas o som das gotas no guardachuva. Sentia o frio e umidade do ar. E choveu quase toda a manhã. Uma chuva leve gostosa. embora tenha molhado os meus pés foi uma manhã sossegada, tudo bem o dia foi maravilhoso. Pela manhã apareceu até uma professora conversamos um pouco e ela identificou uma planta pra mim.
As 11:20 foi almoçar. No RU saiu aquela moqueca de peixe, tinha até gelatina de limão. A tarde passou tão rápido. Quase não percebi. Fiz as coisas que costumo fazer, desde ouvir algo em inglês pra aguçar minha percepção auditiva, ver a namorada e até resolver uns problemas. E quando vim pra casa caiu aquela chuva maravilhosa, intensa e fria. Cheguei a molhar o pé, mas não fiquei irritado. Fiquei feliz, não é todo dia que se vive isso.
A chuva me traz boas recordações, apesar de ver as catástrofes que vem assolando determinadas regiões do país. Recordo-me das primeiras chuvas em minha terra, da alegria geral do povo, do surgimento das esperanças do pobre plantar e ter algo para colher. Chuva é vida.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Dormir

Ando tão cansado que não consigo pensar. Estou cansado de buscar encontrar algo oculto em minha mente. O tempo se tornou para mim algo hipervaloroso, pois o que busco exige tempo e muitas vezes me parece imediato. Tenho prazos que não me dão prazer. Tenho prazer em ler, mas o tempo é tão curto e meu corpo tão humano.
Preciso dormir.

vida

A essência da vida se encontra em na busca incessante do saber.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

via

Caí na rua,
era seis horas da manhã,
não olhei para trás,
segui em frente de olho no aurora,
até o fim do dia,
até a próxima poesia.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Novo código florestal

Pensar que tivemos maior diversidade do mundo em nossos jardins e que essa mesma vem sendo devastada constantemente é uma lástima, ficamos indignados com tanto desmatamento e queimadas crimonosas, com intuito de renovar pasto, bem como destruição das áreas de restingas pela inspeculação imobiliária bem como diversas ações para destruir o meio ambiente. Para piorar essa situação, hoje foi aprovado uma reforma no código florestal. uhttp://www.amazonia.org.br/noticias/noticia.cfm?id=359890

segunda-feira, 5 de julho de 2010

ao léu

Escrevo esperando um eco,
mas ele não vêm, não me responde,
até que um dia ouse vir,
vou escrever aletoriamente.

Forma


Forma
Quanto tempo tento,
descrever a forma,
mas que forma,
qualquer forma.

Forma é o estado acabado da matéria.
A matéria é composta de substâncias que lhes dar suas qualidades.

A forma do pensamento é indescritível.
quero dar forma a minhas idéias,
quero cristalizar meus pensamentos, um a um.
Como devo fazer? é preciso uma soma de diversas coisas e é claro se tiver recurso mais fácil ainda.

Mais quero fazer isso por mim.
Dar forma ao que penso, projetar o mundo como eu vejo, como eu vivo.
Desorganizado, desarmônico mundo como meu corpo percebe e como minha mente concebe.
um tabuleiro de xadrez de conhecimento um pouco disso, um pouco daquilo.

Como materializar minhas idéias?

Dando forma, como sabes fazendo uma limonada se só tendes limões.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Entardecer


O que é a tarde?

A tarde é espaço do dia entre o meio dia e o entardecer.

Eis o entardecer,

O sol segue para o poente,

e sua luz aos poucos horizontalmente entardece,

A natureza começa a se recolher,

O calor aos poucos se desfaz,


as flores coloridas se fecham e flores brancas se abrem,

já ouço o chocalho do gado no curral,

o céu ganha um tom crepuscular,

o céu limpo, seco e polido nos aproxima de nossa pequenez,

soma-se mais um dia em minha vida.

onde estiver levo sempre na mais uma lembrança

do entardecer,

às vezes me esqueço de viver, no entardecer.

Paro e penso será que o que vivo é o que almejava?

quantas tardes já vivi?

muitas tardes...

quantas tardes felizes?

muitas tardes.

quantas tardes tristes?

muitas tardes.

quantas vezes meu coração disparou?

Todas que a vida me deu, todas que eu as fiz.

Quantas coisas que imaginei no fim do dia que vivi e que valeu a pena.

Carrego no peito o sorriso dos meus amigos, um sorriso ornado do entardecer.

Agora me sinto entardecer para a vida, os hábitos e as vezes para mim mesmo.

é nas tardes que tento me aceitar e aceitar o outro.

Muita coisa minha mente apagou.

Quantas tardes belas já passei e nunca imaginei passar?

É tarde agora posso pensar.

As vezes quando paro e penso na tarde sinto paz, amor e esperança.

sei que estou só, porque sou assim, um solitário.

A tarde é assim com um ar de despedida,

Foram tantos adeuses, até mais quantas vezes, pessoas choraram na tarde?

quantas despedidas ainda irei passar?

o que isso importa,

após a tarde vem sempre a noite,

Algumas vezes vejo-me anoitecer...

e não vi a tarde passar.

Ser

Tenho pouco tempo, mas posso fazer muito se for eficiente.
Senta, respira fundo e pensa.
Pensa no que quiser na primeira imagem que vier a sua mente.
Eu vejo o saber, o conhecimento que para mim é algo inestimável e atemporal.
Com este tudo posso.
As vezes é preciso organização para a eficiência, mas as vezes não.
Não se sabe qual é a raiz de tudo isso, todo o sucesso.
São tantos os caminhos corretos e incorretos.
Que serve um conheça a ti mesmo.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

metamorfose

Um novo passo se dar na vida quando se decide fazer algo que acreditamos. Não se sabe quando é a hora, pois qualquer momento pode ser instante de titulação. É necessário se desapegar de tudo conceitos, valores, medos e forma de ver e viver a vida.
Isso não é fácil, pois somos possessivos e pensamos sempre estarmos perdendo, ou que estamos sendo rejeitados. Busca um horizonte diferente interpreta o mundo de forma diversa. A cada manhã que passares, nova rotina criará e se adaptará. Observa a natureza, tão inconstante, adversa, mas tão sabia. Renova-se a cada dia. Aprendi com a natureza que cada dia apaga é um novo dia e que estes apagam as amarguras que assolam a vida. Se nada está dando certo, para, pensa, respira!!! e repensa, reconstrói e renasce.