segunda-feira, 31 de maio de 2010

Vou falar de alegria,
vou misturar tudo com poesia,
bem que eu queria
e agora o faço através dessa poesia,
eternizo o momento,
através de frases repletas de contentamento.
esse momento se eternizou
e segue para eter adentro.

???

Estou meio ansioso e com receio que não der certo minha qualificação. Como diz o nordestino Seja o que Deus quiser.

Ultimamente, ando tão cansado da mente que nunca mais parei para escrever e confesso que estou com saudades.
Logo que puder irei voltar a escrever.

Hoje foi um dia muito bom assisti 3 qualificações e todas foram aprovadas foram lindas exposições. Pedro, Gisele e Nívia, sendo que esta hoje fez aniversário. Todos estavam impecáveis. Assim segue a vida ao sabor do vento, dos nossos medos, receios e nossas fraquezas.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Ânsia

Atualmente, tenho sentido muito cansaço no fim da noite e um intenso sono. Venho lendo coisas super interessantes, mas confesso que esse cansaço está podando minha colheita de palavras, frases, textos e idéias. Talvez, meus dias tenham sido muito longos ou talvez seja a tensão, pois aproxima-se a minha qualificação de doutorado. Confesso que estou com receio, mas creio que dará certo, todavia se não der a vida continua. Terei outra chance.
Nem tudo é fácil.
Até logo.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

tempo.

Quanto tempo tenho?
Todos os dias e noites me incomoda o tempo, pois depois que passamos a contar o tempo, passamos a viver regido por relógios e não pelos movimentos dos astros.
Relógios cada vez mais sensíveis e pessoas cada vez mais competitivas fizeram com o que o tempo encurtasse e com isto as pessoas vivem bem menos para si. Vivem na busca sedenta de produzir e assim puder ter. A felicidade se resume no poder fazer algo, comprar ou melhor somos felizes quando temos a conciência que podemos fazer algo que desejamos. O dinheiro na atualidade é algo que compra tudo, e achamos que poderemos nos imortalizar com o dinheiro ledo engano ao que me parece as pessoas são consumidas pelo capitalismo que suga todo sopro de vida ou seja tudo que tinhamos e que perdemos, o tempo. Não temos mais tempo de ficar ociosos, tristes, pois caso isso aconteça somos taxados de doentes deprecivos.
Ainda lembro com saudades do tempo de infância onde era feliz com qualquer coisa, hoje perdi tudo, meu tempo, minha liberdade, meus medos para o capital e o tempo que me sobra só me deixa entediado.

domingo, 23 de maio de 2010

passa!

Por que muitas pessoas são tão ingratas?
No fim da década de oitenta e começo de noventa, quando ainda morava em Serrinha dos Pintos, numa pequena comunidade chamada Serrinha do Canto, lembro que a minha vida era depentente completamente do campo. Morava com meus pais e meus irmãos num pequeno sítio. Fazia poucos anos que havia colocado eletricidade e não tinha serviço de água encanada ou sequer telefone. O único meio de comunicação era a tv e o rádio.
Bem nossa comunidade era bem pobre, mas unida. E durante esse tempo fui criada uma comunidade onde os associados conseguiram alguns recursos para melhorar a vida daquelas humildes pessoas que o pouco que ganhava era para sobreviver, quase todas as pessoas tinha um pequeno curral com 2 a 3 vacas, um jegue e galinhas. Tinha também os pequenos sítios onde muitas vezes se colhia frutos dos mais diversos. Bem o fato é que essa associação conseguiu máquinas que servia para escopar arroz, e debulhar milho, era pequeno, mas me lembro muito bem, todas as vezes que era época de debulha de feijão e milho parecia uma festa, bem essas máquinas, foram doadas e uma certa família que por ter amizade com um agronomo e mexia com essas coisas, doou parte da propriedade para construir os prédias para abrigar esses objetos. Um rapaz bem desenrolado, Jeziel, passou a tomar conta dessas maquinas e aos poucos foi conseguindo uma certa altoridade, passou a gozar de uma maior afeição entre as pessoas, com o tempo ele passou a ser o cara mais cotado para casar com as moças do povoado. Então ele resolveu crescer mais e junto com um amigo que vira de São Paulo com um certo capital montou junto uma loja de confecções.
Onde confecçionava em escala maior o comércio começou a se desenvolver, mas com a inexperiência e o pouco dinheiro, este passou a fazer empréstimos, com alta taxa se juros, acabou que virou uma bola de neve e o seu sócio polou fora antes do barco afundar. Bem essas dívidas foram cruciais e todo o prestígio que tanto deu duro para adquirir foi por água abaixo. Muitas vezes foi ameçado até de morte, não dormia direito. A vida não dar mole e durante esse periodo sua irmã que ajudara na loja teve um forte aneurisma e veio a falecer e pouco tempo depois foi também seu pai.
Então casado com uma filha, ele resolveu lutar, mesmo sendo desprezado por todos até mesmo os irmãos lhes deram as costas. Em decorrência da situação, estiagem de dinheiro, todos queriam ele para cristo. Mas ele não desistiu foi pagando um a um e certamente, talvez ele pagou a todos. Hoje ele deu a volta por cima. Mas já não tem o sorriso que tinha.
Uma pessoa tão boa, foi um dos primeiros a ter telefone na comunidade, sua casa muitas pessoas utilizavam seu aparelho, pessoas que ficaram contra ele.
Não acho que o que ele fez é certo, mas deveria repensar o que ele fez por todas aquelas pessoas.
Acho que muitas vezes, pensamos só em nós mesmo, Atitude covarde e egoísta, somos incompreensiva para com os outros.
A vida passa, todos passaremos, mas ele continua lá, lutando na sua honda 82, mas de cabeça baixa, sem o sorriso.

O Novo

Olhos, ouvidos, nariz e pele atentos a variação no ambiente. A alma avalia estas variações.
Neste domingo, que coisa boa, fiquei sabendo que vou ser tio pela quarta vez e estou muito feliz. Paro para imaginar quem virar ai menino ou menina e como poderá se chamar. O novo esta vindo uma nova família está se constituindo.
A vida se renova a cada dia.
Fiquemos atentos as variações no ambiente, na vida, no novo, pois estamos ficando velhos.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

semana

Sexta-feira, ultimamente ando acordando muito cedo neste dia, vou para universidade, trabalho bastante e venho pra casa cansado com sono.
Tudo tem passado tão rápido as vezes penso essa semana vai demorar um pouco, ledo engano quando menos espero já passou.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Atibaia

No alto da serra de Atibaia pode-se ver o verde intenso da vegetação, sentir o ar frio e úmido e perceber a impressão que o clima expressa sobre os troncos, sobre as rochas, sobre os solos em formas de vidas maravilhosas, as briofitas e os liquens.
Verdes musgos, hepáticas talosas, antoceros explodem em diversidades, formas e beleza e num microhabitar, um universo enorme e diverso para estes pequenos seres que já habitam a terra a milhões de anos.
O solo é vermelho, argiloso onde sobre este a vida ocorre devagar.
Hoje deliciei-me ao conhecer atibaia, do som da água corrente de pequenos riachos, do sabor doce da pocã, da neblina fria. do mundo totalmente por mim ignorado. O micro tornou-se macro e o macro micro.
Como a vida sempre desperta, desponta, pois nunca é tarde para se descobrir a beleza de viver, mesmo que seja uma vida simples.

terça-feira, 18 de maio de 2010

reflexão

Cada um com suas histórias, poesias, rimas, frases.
O tempo contado, vivemos ilhados, na sede do saber,
buscando nos livros, nas ruas, innternet, link para melhor viver.
vivemos loucos, na correria da vida.
empolgados e muitas vezes esquecemos de viver,
que a vida passa............. o tempo passa.
tudo passa.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Amizade

A amizade é uma intensa relação que devemos cultivar entre as pessoas, mas nem sempre é fácil construir tal relação, pois há diversos fatores que podem dificultar essa construção. Muitas vezes temos em mente determinados preconceitos, medos, antipatia ou não respeitamos o diferente. As pessoas são diferentes e por terem determinados tracos que o outro porta fazem com que venhamos a evitar essas pessoas. Portanto acho que antes de julgar alguém pela aparência é preciso tentar compreender que se pode aprender com esse alguém e se estiveres aberto ao diálogo, veja bem, voce poderá ter um novo amigo que com suas diferenças irá complementar essa difença que há em ti e então voce quebrará essa barreira e verá que tens muitas coisas em comum.
Não é muito difícil ver as pessoas em suas correrias quotidianas, cheias de coisas pra fazerem, como simples máquinas execultam atividades e não param sequer para conversar como vai o outro, trocar uma idéia, algo que é extremamente salutar, simplismente só fala com o outro quando envolve algum interesse isso seria um problema desse sistema ou seria um problema do ser humano?
Temos amigos cada vez menos, somos cada vez mais consumistas, muitas vezes queremos consumir a amizade, mas não é assim que se mantém o elo desse sentimento, talvez seja, no dia a dia, no faz e desfaz, nas pequenas coisas ou nas grandes coisas que passamos a conhecer o outro e a gostar do outro a ser mais tolerante, embora seja difícil porque podemos fazer diferente.
Há pessoas que não tem a menor necessidade de fazer amizade e tem pessoas que sentem tal necessidade só que tem as que tem necessidade e grudam demais e tem as que são normais. Nem sempre proximidade demais faz bem, pois as vezes estamos invadindo demais o espaço do outro, sufocando e nem estamos percebendo, talvez estejamos acreditando que tudo é do jeito que pensamos, mas talvez não o seja. As vezes falamos demais e acabamos com uma relação por uma palavra, um mal entendido. Cuidado.
"A linguagem é uma fonte de mal entendido, disse a rapoza ao pequeno principe" é preciso respeitar o outro. E é esse respeito que vai definir se vais ter ou não um novo amigo.
Aristoteles dizia que a amizade é baseada em três pilares: nos interesses em comum, no prazer e na bomdade.
Reflita um pouco sobre.

domingo, 16 de maio de 2010

ao sabor do pensamento

O som suave que ouço acalma minha alma. Já passa da meia noite e tenho sono, mas ainda insisto em permanecer acordado. Hoje é madrugada de domingo, mês de maio de 2010.
Quantas noites de sábado saia de casa para descançar minha mente conversando com os amigos, mas na verdade eu não conseguia, pois estava obsecado por um sonho passar no vestibular.
Mas esse tempo passou, a graduação e mestrado também passaram, já fazem quase 10 anos que sai de casa numa viagem em busca de conhecimento, deixei meus pais, conhecidos e amigos meus queridos por uma busca que não sei muito bem explicar, mas sedento por tal objetivo eu busco nos livros, nas frases, nas palavras a essência para a vida. Muitas vezes mesmo não encontro resposta. Mas confesso que vejo no mundo que habito muitas evidências, por exemplo essa máquina que estou usando, essa rede, são produtos produzidos pelo homem. Cada pequeno conhecimento que adicinamos é uma gota num oceano, mas que quando somado vemos um resultado maravilhoso que e a cultura humana que está por toda parte, modificando a natureza e sua própria concepção.
Todos os dias me deparo com os problemas vividos pela humanidade, às vezes parece se multiplicar, de cunho físico, moral, político ou social. Estamos todos envolvidos tentando resolver estes problemas e consumimos nossas vidas, nossas noites e madrugadas de domingo.
Valerá a pena? Creio que sim, pois acho que dias melhores virão para as novas gerações, pois quantas gerações não foram consumidas para vivermos como vivemos hoje?
Tenho certeza que foram infinitas. Será que estamos perto do fim? Eis um mistério que quero que fique oculto por minha exigência.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Cão vagabundo

Hoje acordei, como sempre, cedo, aqui em Campinas, e fazia um frio congelante. Então quando estava indo para a Unicamp, trajeto que faço, cotidianamente, por esse intinerário ainda encontro graças. Pois quando terminava de passar na praça dos cocos, que é uma praça enorme e tem muitas árvores maravilhosas, um pouco antes de entrar na rua que se seguir um beco por onde passam bicicletas, se chegará ao direto no cruzamento do tilicenter. Então, neste lugar, desde muito tempo não via tanta alegria, eis que vejo, um morador de rua simples e muito humilde, o dono de um carro de sucata que que a tempos me questionava de quem seria tal objeto, pois sempre vejo ocupando o espaçõ de um terreno abandonado, até que enfim pude conhecer quem era o dono daquele humilde carro, o senhor vestia roupas escuras. Bem o faro é que vi o cão vagabundo que muitas vezes vigiava aquele simples carro, cão alegre, de pelos crizo, mas aparentemente melado de sujo, com o carro e seu dono. Pude presenciar o encontro de um cão vagabundo, vermelho e de rabo cortado, aparentemente também morador de rua, eu tinha visto a uma quadra atrás, numa alegria imensa por ter aquele simples morador de rua, ao que me parece eram amigos, talvez seu dono. Numa felicidade tão imensa quanto um grande amigo que não se ver a tempo.
Então passei o dia feliz, com a beleza da amizade, tamanha afeição de tal animal.
Na vida,a amizade, tem valor inestimável.

Noite

O céu estrelado, limpo,
a rua nua, ilumidada pela luz amarela.
nunca senti a tua tão fria,
nem os cães ladram, estão em suas casinhas, tremendo de frio.
que dias frios esses de maio,
me trazem lembranças de São Paulo campital.
e as madrugadas gelam até raiar o dia.

terça-feira, 11 de maio de 2010

segunda-feira, 10 de maio de 2010

dormir

Uma noite é muito longa sem um bom sono.
Viajei ontem a noite de Uberlândia para campinas e não dormi direito.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

A senhora

Todos os dias, pela manhã, quando estou indo para a universidade, quase sempre, muito cedo, antes das sete horas, quase no meio de meu intinerário, encontro uma senhora, de cabelos lisos, loiro, que não usa roupa de senhora e sim uma calça e uma blusa, uns tenis brancos, ela pisa pra dentro pois pude notar que seu tênis é mais desgastado para a parte de dentro. um relógio preto grande e acho que nas primeiras vezes que a vi, levava consigo um celular da motorola. Usa óculos.
Não sei seu nome, às vezes solto um bom dia e ela por vezes responde, outras vezes não. Passo calado. Acho que ela tem medo de mim.
O fato que todos os dias a encontro na ciclovia entre a igreja e o tilicenter.
Quem é ela? o que ela faz? tem família?
Eis ai uma icognita. Não me interessa, as vezes tenho medo dela. Bem ela se exercita, acho que recomendada pelo médico, talvez fumou a vida toda, pois não gosta de falar sozinha.
Não me lembro a primeira vez que a vi, nem consegui resumir nada sobre ela.
E todos os dias até no feriado encontrei ela caminhando.
pra onde? pra que?
Essa senhora que cruza minha vida, agora dorme. será?
Não sei.

terça-feira, 4 de maio de 2010

a laranja

Uma laranja verde sobre a mesa, dia após dia, perde o a cor verde e paulatinamente torna-se amarela, seca, dura.
Faz uma semana que trousse esta laranja do restaurante e a pus em sobre minha mesa, não me servi de seu suco, mas me serviu de admiração,pois nela há tanta beleza.
O que há de belo em uma laranja?
Depende de quem ver, gosta ou tem mente fertil.
Para mim já basta a sua forma imperfeita de esfera, sua cor, sua poricidade, sua consistência.
Como pode algo naturalmente faz-se esférico, sem que haja um molde? de onde vem essa força? E sua cor como pode mudar com o tempo?
Laranja me trás boas e más lembranças.
Boas quando criança adorava chupar laranja no pé, ruim quando criança, via laranja sobre cadaveres para disfarçar o mal cheiro.

Poderia sentir seu sabor ácido, caudaloso, mas prefiro adimirar sua forma.
Poder pensar sobre sua origem e reflerir sobre tudo, principalmente sobre a vida.
A laranja viçosa que com o tempo perde o vigor, ganha nova cor, torna-se mais doce.
A vida viçosa é dominada pelo tempo e o que resta e a gratificante busca e encontro da sabedoria.
Porque o que nos resta é a entropia.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

noite

Caiu a tarde,
aos poucos o calor vai sedendo espaço,
a luz do sol vai sumindo no horizonte,
lentamente o dia se vai,
as aves se resguradam em seus ninhos,
o sol se põe.
a noite chegou e trousse consigo,
seus mistérios,
quem os conhece?
aves, morcegos, quadrupedes.
tateamos na noite.
no escuro de nossa mente.