segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Eu besouro.

Um percevejo voa no quarto.
voa pra cá, voa pra lá.
mas o que busca?
Busca a luz branca.
No meu quarto tem duas luzes e então não se decide se fica aqui ou vai pra lá.
pra lá pra cá.

O ar está tão puro lá fora.
Por que busca a luz?
o que significa a luz para ele?
voa pra cá,voa pra lá.

será se busca o dia?
Será se busca o sol?

O que busca o pecevejo na noite?

Acho que se perdeu quando encontrou uma luz.

Acho que na luz encontrou a um sentido, mas perdeu-se
na indecisão de sua existência.

E passa todo o tempo pra lá e pra cá,

sem objetivo.

A flor do jardim

Uma linda flor nasceu no jardim,
suas pétalas são vermelhas,
tão suaves, tão sedosas.
Seu cheiro é doce e intenso.
Nasceu uma flor no meu jardim,
não a vi desabrochar, não a vi fechar.
não sei quanto tempo durou, sei que foi efêmero, tão rápido.

Uma linda flor nasceu no jardim,
o sabiá cantou para ela abrir,
o sol brilhor pra ela vicejar,
e eu nem a vi passar.

Uma linda flor nasceu no jardim,
eu sai antes dela abrir e chegei depois que ela fechou.

A linda flor seu perfume exalou, sua beleza mostrou,
mas ninguém viu a flor no meu jardim.

A linda flor no meu jardim desabrochou,
eu sai, veio a abelha e beijou a flor.

A linda flor no meu jardim pergume e cor exalou, veio o beija-flor e a mas não a beijou.

Era uma erva que cresceu no meu jardim,
ninguém cuida do meu jardim,
mas mesmo assim,
aquela flor desabrochou,


no meu jardim.

dialogo

Posso falar se tu me escutar, mas se não me escutar, de que adianta falar?
Sobre o que quero falar? Não sei, talvez queira apenas sua presença.

Acho que posso falar sobre. Sobre... mim.

Como foi o seu dia?

Bom e o seu bom também.
O que voce fez?
Bem eu acordei, tomei café, tomei banho, fui pra universidade tabalhar, trabalhei.
voltei pra casa, jantei, tomei banho e agora estou aqui.
Não almoçou?
Sim.
E a comida estava boa?
Sim.
o Que comeu?
Bem comi no café da manhã banana e maçã.

Não no almoço.

No almoço, comi feijão, arroz, carne picada e repolho ralado.
Bom.

E a noite o que voce fez?

Li.

tchau. boa noite

domingo, 29 de novembro de 2009

certo.

Sinto que me falta algo,
não é algo do coração,
não é algo dos sonhos,
apenas sinto,
que falta algo,
mas não posso me desesperar por isso,
pois sei que esse sentimento passa como tudo passa.

Tudo na vida passa, tudo em mim passa.

Sei que estou apenas de passagem nesse mundo,
as vezes parece que sou eterno, forte, completo,
no entanto às vezes pensamentos negativos tomam conta de mim e então
sinto medo. Confesso que ando amedrontado, visto que cada dia que passa,
me sinto mais inseguro.

Preciso ser mais forte, confiante e abandonar esses sentimentos,
pois tudo há de dar certo.

Lua

Hoje a noite quando fui ao quintal deixar o lixo, vi o luar.

A lua pálida brilhava na noite escura, enquanto isso, a todo instante tênues nuvens levadas pelo vento escondiam parcialmente o seu brilho.

Quanto tempo não encarava a lua face a face, tive uma sensação muito agradável de harmonia e paz.

A lua sorriu pra mim.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

class

Quanta tecnologia, celular, mp3, leptop.
Quanto atraso, lápis, caderno, giz e quadro negro.
Professor já viu me novo célular, câmera, mp3, tv, rádio.
E o professor não opera sequer um pc.
Desligue o celular, cale a boca e escreva.

Olha recebi uma mensagem, falando que a emissão de carborno aumentou 10% nos 15 últimos anos.
Voce quer ir para fora, se não desligar esse celular.

Então o que é um habitat. blá.blá...

Nossa que aula chata.

confuso

Não quero escrever sobre algo triste, pois a vida é tão cruel que sempre temos motivos para estarmos triste. Quero escrever sobre esperança que apesar das adversidades, do caos ainda assim me é construtivo.
Motivos não me faltam para falar de coisas desagradavéis, basta ligar a tv, o rádio ou o computador. As notícias hoje se expalham em tempo real e tem um tempo de vida curtíssimo, o que aconteceu ontem já não serve mais pra hoje, pois tem mais e mais notícias acontecendo. Tudo ficou tão banal. Se vou falar sobre algo que aconteceu anti-ontem as pessoas nem sabem mais sobre o que estou falando, simplismente me ignoram, dizendo que ando atrasado no tempo. Bons e velhos tempos quanto tinhamos apenas a tv e achavamos aquilo maravilhoso, ver algo que aconteceu no japão. Hoje com o twitter vejo antes mesmo dos jornalistaas anunciarem as notícias internacionais da BBC, CNN fico feliz quando eles anunciam algo que já li.
Pois é me envolvi no texto não escrevi sobre algo triste, nem sobre esperança, simplismente me perdi no meu raciocínio. Afinal pra que anunciar algo, se não tem valor nem pra mim mesmo. Vou omitir minha opinião, pois nem a mim mesmo interessa.

Boa noite

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Tarde apos chuva

A tarde estava quente, mas caiu uma chuva,
e tudo mudou:
A poeira se apagou,
a água a rua lavou,
levou as folhas,
deixando limpa a tarde,
e o clima ficou mais agradável,
até mesmo o sol desapareceu,
nobaldo o fim de tarde ficou,
Fim de tarde em São Paulo,
fim de tarde de verão após a chuva,
Bem do lado de minha casa tem um jasmim e em frente uma acacia e uma magnolia.
Na acacia canta o sabiá,
uma melodia tão harmoniosa, tão bela.
A magnolia agora está florida teu cheiro doce invade minha janela,
e sobrepoe o mal cheiro das fezes do estrela.

Sai um pouco de casa fui ao mercado,
e pude senti o cheiro ainda mais doce das flores do jasmim,
tão alvas, de fauce amarela,
tão agradavel a tarde de ruas varridas,

a tarde em Barão Geraldo, jardim independência, Rua felizberto Brolezze.

meu ninho de idéias,

terça-feira, 17 de novembro de 2009

fim de noite

Meus olhos mucham de sono e cansaço.
Essa nova vida, suga todas minhas forças.

Linguagens

Posso imaginar ouvindo, estou ouvindo uma linda canção e vendo um ambiente totalmente calmo, doce e harmonioso,porém quando troco a música, posso ver outro ambiente. Minha mente como o mais avançado computador sempre associa alguma música conhecida a alguma memória que me faz ver ou sentir algo que essa música desperta em minha mente.
Mas realmente eu vejo?
Vejo!
Vejo quando fecho os olhos.

Vejo uma imagem que já não existe mais.

Posso imaginar ao sentir um cheiro,
Se estou sentindo um doce perfume e posso ver um campo verde cheio de mufumbo repleto de flores, vejo as abelhas, visto que é uma sensação deliciosa que tenho do cheiro doce.

Posso imaginar ao tatear algo,
Se estou tateando um caju, vejo sua cor viva, sua maciez, sua castanha dura.

Posso imaginar ao saborear algo,
se quando saboreio um caju sinto o doce acre, vejo os sítios de cajueiros repletos de frutos.

Meus sentidos são capazes de em um único intante captar uma quantidade infinita de informações que não consigo processá-las imediatamente, necessito de um certo tempo para conseguir aprender essas infomações,visto que tantas que é necessário filtra-las e extrair apenas o que preciso.

Tenho um mundo interno de informações que muitas vezes se confunde com o mundo externo que muitas vezes tudo parece um verdadeiro caos.

Somos seres caóticos que aprendeu a buscar um cosmo e reunir tamtas quantas forem as informações para traduzi-la em linguagem legível a nós mesmo.

A medida que o tempo passa o mundo torna-se mais caótico e continua em sua tendência ao caos. As linguagens são tantas que novamente temos um novo caos, mas de liguagens, portanto é necessário sermos objetivos, senão quisermos nos tornarmos imersos em informações, para entender o mundo exterior ou simplimente ignorar tal caos, todavia se escolhermos tal opção estaremos condenados ao isolamento.

O mundo hoje é excessivamente dinâmico, pois somos bilhões produzindo mais e mais linguagem, tecnologia e caos, já não somos capazes de alcançarmos, mas façamos o mínimo.

Utilizemos o que a natureza nos deu os sentidos em nosso favor para continuamente aprendermos a aprender.

domingo, 15 de novembro de 2009

fim

E a vida foi consumida,
hoje um câncer quem consome os ultimos supiros de uma vida.
Ontem meu pai chorou, quando falou com sua irmã, pois ficou sabendo que meu tio, está apenas esperando a morte chegar.
Uma vida comprida, cheia de luta, sol a sol e a vida se vai.
Desde novo todos meus tios e papai sempre lutaram por uma vida digna, mas a vida não foi digna deles. Primeiro morreu tia Margarida que não chegei a conhecer parece que de parto, só sei dela porque conheço meus primos seus filhos, em seguida tia Raimunda, de câncer de mama, está conheci quando ainda era criança e o último foi meu tio Aldo uma fatalidade, morreu de depressão e a vida agora vai levar mais um que conheci, mas infelizmente não tinha o minimo de intimidade.
É muito ruim ver meu pai chorar.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

sonho

Hoje olhei para o horizonte,
não vi o sol,
não vi matéria,
vi ilusão.
no fundo ainda sonhava,
sonhava com um mundo metafísico.
quando acordei,
acordei em um sonho,
quando despertei,
vi que minha vida não passou de um sonho,
e acordei num sonho,
onde não conhecia ninguém,
mas era humano, não falava portugues,
falava alemão.
Acordei pensando que fui brasileiro e falava portuquês. Parecia tão real.
Onde moro todos falam alemão, sonho em morar no Brasil e falar italiano,
queria estudar plantas, amo plantas, mas acabei fazendo filosofia,
faço doutorado com Schopenhauer,
meus amigos são excelentes filosofos,
mas amo Botânica,
queria saber português e morar no Brasil.
Engraçado,
sonhei que era Brasileiro.

Well dreams of Platonism.

mundo mente

Eu criei o meu mundo,
no mundo que não é meu,
nesse outro mundo,
muitos mundos foram criados,
mas não consigo entrar, ou acessar,
tão pouco posso passar pro outro o meu mundo.
Cada um com um mundo,
O mundo tem tantos mundos
que chega a ser imundo.
Meu mundo, minha mente,
minha mente não é transparente,
mas cheia de vazios,
cheia de pensamentos sobre pedras,
sobre dogmas, sobre ilhas.
Preciso conquistar todo mundo,
preciso ser outro mundo,
descontruir e reconstruir,
ruir tudo de mal que invadiu meu mundo.
Nem tudo tem que ser deletado,
mas tudo tem que ser recomeçado.
meu mundo, minha mente.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

apagao

Ontem teve um apagão que expandiu por cerca de 18 estados brasileiros, incluindo o Paraguai, as principais cidades afetadas fora Rio de Janeiro e São Paulo.
Meu pai falou que lá no Grajaú São Paulo foi mais de duas horas sem luz.

Estamos no futuro e isso ainda acontece.

Vento

Portas abertas,
esperando o vento,
mas o tempo,
não o trousse.

Esperou-se que viesse,
mas não chegou.

É verão, quando chegar o inverno ele virá,
mas as portas estarão fechadas,

comprei um ventilador,
fechei a porta para o vento,
não espero pelo tempo,
no inverno cumprimento o vento,

o tempo, esse quero esquecer, que vá para o raio que o parta.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Saber

Todos os dias procuro aperfeiçoar minha linguagem, pois estou imerso num mundo de conceitos. Cada dia posso absolver mais e mais conceitos, dominar a língua, não há um limite para a mente.
Descubro o quanto nada sei quanto mais aprendo. O saber é para mim como um tesouro e me sinto numa busca ao tesouro, busco nos livros, internet, palestas, ouvindo pessoas, obter tal riqueza que me enche de prazer. O saber, domínio da língua, o trato com as palavras. O gostaria de saber passar o conhecimento, reportar a notícias, estou me polindo dia a dia, mas não é fácil, pois minha mente é um verdadeiro caos que não consigo dominar. Estou tentando e acho que vou conseguir. Sinto-me como um garoto tentando acertar a lua com uma pedra, talvez não consiga acerta-la, mas jogarei cada vez mais a pedra mais alto. Não desistirei, pois é esse sentimento que me alimenta.
O saber.
Todos os dias quando acordo já acordo com vontade de aprender.
Um dia quem sabe talvez não consiga, todavia só a chance de tentar já me torna feliz.

valor

Não faz muito tempo,
tinha a mente cheia de sonhos e
ainda posso encontrar lembranças doces de infância,
sonhava ter tudo que quisesse.
O tempo passou e algo ficou, não consegui exatamente o que queria, mas ganhei algo melhor.
tempo de vida.

domingo, 8 de novembro de 2009

eterno

O tempo levou meu desejo ardente,
levou minha paixão fulminate,
o tempo me trousse a velhice,
me livrou da burrice,
o tempo é responsável pelo meu desencantamento,
mas ainda bem que o tempo me livrou da eternidade.

Vida

Quando me olho no espelho,
vejo que me falta cabelo,
vejo que em meu rosto sugem expressões riscadas,
vejo que não me reconheço,
porque simplismente não penso o ser, o espirito,
penso a matéria,
penso que meu tempo está se esgotando,
não penso que não sonho mais tanto,
não vejo que tenho dinheiro, mas as balas não são mais tão doces,
que os brinquedos perderam a graça.

Quando me olho no espelho,
vejo o quanto como, pra saciar minha anciedade,
não pra me sustentar, minha barriga não para de crescer.

Quando olho no espelho,
vejo uma barba que cresce sem parar, hirsuta,
que conta o meu tempo,

meu tempo que me resta,
que conta a conta gota minha vida,
minha existência, que não me perdoará,
um dia levará minha existência,
ainda bem que quando chegar,
quero está bem velhinho,
sem nenhum desejo ou prazer.

quero consumir a vida, enquanto desejo ou prazer puder ter,
enquanto força me restar,
quero ficar bem velhinho,
e só então a morte pode me levar,

não quero deixar nada para a vida,
quero como uma vela consumir o meu corpo,

porque sei que o meu dia vai chegar,
espero que tarde,

que eu possa olhar muitas vezes no espelho
e possa ver o que sou e refletir o que fui,
e ter orgulho de ter vivido uma vida.

Domingo

Que imagem ficou impregnada em minha mente hoje?
Um dia ameno, nublado com chuvas esparças.
Tive um delicioso almoço.
Assisti vários seriados.
E a tarde parecia que o céu iria cair em chuva, mas pouco choveu.
A noite passei toda a minha roupa enquanto o fazia assistia uma palestra da Viviane Moze, falando sobre linguagem e Nietzsche, maravilhosa.
Agora sinto sono acho que vou dormir.

reunião

Finalmente o silêncio, após um longo discurso.
A sala se esvaziou, a luz apagou e todos partiram pra suas casas com suas mentes cheias de idéias. Idéias que serão digeridas, geradas ou simplismente deletadas.
Ums saem sorrindo, outros indiferentes.
Outro dia quiçá novamente a tribuna será reumida novamente.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

fim

Como escrever sobre o presente se minha mente só reflete o vivido, pois que torne a pensar o que há de ser vivido novamente, então por que então não falar então da dor, da morte, do amor, da paixão.
A dor é gerada da paixão não consumida, nos conumimos com a insaciabilidade de um desejo tão intenso que nos enlouquece, ainda bem que é paixão, passion que passa.
O amor é o constume gerado de uma paixão, um contrato onde um sede mais que o outro.
A morte é o fim de todos os sentimentos.

Atitude

O que me faz um grande homem? Meu tamanho ou minhas atitudes?
O meu tamanho relmente me faz um grande homem, mas se não tiver grandes atitudes não serei um grande homem. Posso ser um grande homem mesmo sendo sendo pequeno, basta que tenha grandes atitudes.
O que é atitude?
É a capacidade de julgar.
Bem quem bem julga senão quem muito conhece.
Boas atitudes estão associadas a experiências.

Nossa que balaio de gato me meti hoje.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Verão

A propósito do calor. O calor me faz lembrar muitas coisas tais como praia, salada de frutas e a linda Natal.
Natal já me fez sentir tanto calor. Morava num quarto com cinco figuras. Nosso quarto tinha apenas uma e esta tinha uma grade até parecia uma prisão. No verão aquele ambiente fervia. E para estudar era muito cansativo, pois o salão de estudo era realmente muito quente era uma sala de tortura, visto que o sol da tarde atingia de cheio a parede deste. O salão não tinha janela apenas entrada de ar e seis ventiladores que quando ligados parecia uma tecelagem com uma porta única e várias mesas.
Quantas pessoas vi cochilar ao invés de estudar de cansaço e calor. Ia estudar a força. Nos fins de semana ficavamos estudando horas afinco, quando chegava a noite os olhos estavam irritados.
O calor fazia tomarmos mais de três banhos por dia, pois suavamos muito.
No quarto eu não tinha um ventilador pra fazer o ar circular e adormecer era uma muito difícil.
As vezes acordava e ia para o pátio sentir a brisa do mar; tomava mais um banho.
Conversava com os amigos e reclamava do calor.

Sentia meu corpo ferver.

A sombra do algaroba muitas vezes atendia o orelhão, converava um poco, a sandália deslizava de tanto suor.

Nesse período era excelente para secar a roupa no varal.

Calor que me trousse tanta dor,

Era tão bom.

calor

Têm coisas que me irritam. Uma delas é a sensação de calor. O verão está vindo mais quente que nunca.
Hoje o dia foi muito quente. Uma sensação péssima toma conta do corpo, afecção, sono por dormir mal a noite não dar para relaxar, raciocinar ou fazer algo bom além de tomar um bom banho com água fria, mas se toma banho logo vem a sensação de calor novamente. A adaptação ao período de verão realmente não é uma das melhores senações a serem descrita, nem deveria, mas como irrita é bom saber que tem coisas que irritam.