quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Cabelo rapado

Não faz muito tempo era criança, aconteceu um fato muito engraçado, ainda lembro como se fosse hoje.
Este fato me faz lembar o ambiente de minha casa, lembro do banheiro, o sanitário tinha uma tampa rosa e a porta de madeira podre da umidade da água, ah não tinhamos choveiro e sim um tanque que cabia três cargas dágua. ah as telhas sobre o tanque era quebrada para no periodo de chuva a água cair no tanque, de maneira que clareava o banheiro, nessa época não tinha eletricidade em minha casa.
Papai fazia a barba com um estojo e gillete, sempre via ele fazendo a barba achava legal.
E como não tinha barba, mas numa tarde resolvi usar aquele objeto, bem como não tinha barba resolvi fazer o cabelo de maneira que rapei parte do meu cabelo, acho que fiquei parecendo um índio.
A noite fomos para a casa de minha tia que estava com câncer de mama e ela ficou muito assustada com aquilo, achou que poderia ter morrido.
Não me lembro de seu rosto, pois era noite e estava escuro. Não consegui captar esse momento.

Após o almoço eu fazia essas traquinagem, pois mamãe sempre tirou uma sesta, adora uma sesta. Ela aprendeu com o pai dela vovô José.

Just only this is part of my life.

serei louco

Minha mente é o meu universo.
Através dela posso viajar pelo passado,
viver o presente e projetar um futuro.
Eu sou o que eu penso, sinto e compreendo.
Meu mundo minha representação.
Do que gosto? daquilo que me faz sentir bem em harmonia com a vida,
portanto adoro um dia ensolarado de inverno no inverno, onde posso ver o vendo assanhar a copa da ceriguela.

Mais são imagens, minhas imagens.
Queria que alguém pudesse sentir o mesmo que não fosse tão peculiar.

Quero expendir minhas idéias.
Eu preciso acreditar em mim, na vida.

Tenho que fazer do caos de minha mente um cosmo,
e sobreviver com dignidade, não como louco.
Se bem que me acho meio louco as vezes.
ou sempre, sou um louco fingindo ser normal.
Nem eu mesmo sei mais,
só minha mente que sabe.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

ver.

Vejo o verde nos campos, a esperança que levo desde jovem, mas não sou mais tão jovem.
Vejo o azul do céu, céu azul, nu, céu em paz.
sem neves de algodão, nimbus.

Vejo o dourado das flores, enfeitam os jardins, calçadas a vida.

Vejo o concreto envelhecendo, construção ruindo.
Vejo o riacho esmpumando, o sabão da casa sabe lá de quem.
Vejo os buracos nas estradas não tenho carro, mas acho estericamente feio, um buraco.

Vejo pessoas, jovens e velhas, mas não me chama atenção o velho e sim o jovem, mas nem sempre serei jovem, nem por isso deixarei de olhar um jovem, talvez quebre meus espelhos.

Eu vejo o mundo mudar, pessoas mudarem.

Vejo a vida passar sem perceber, dia a dia, vivo cada um, driblando a minha existência tendo sempre algo pra fazer, pra dar sentido a minha vida.

Quando não sei o que fazer, minha vida fica um lixo.

Eu vejo... sinto o tempo passar. porque tomo banho todos os dias, eu almoço, janto...
tenho no tempo a segurança de que não ficarei ocioso.

tempo não me falta, mas também não me sobra.
Não sei ser impacial com o tempo.

One day I sleep of this dream that is the live

morte

Cada dia que se passa é uma subtração de um dia, estamos indo de encontro com nosso fim que talvez seja iminete, não sabemos, simplismente nosso cérebro esqueçe;
E quando lembramos desse fato ficamos amedrontados.
Simplismente a morte é uma incognita, que nos apavora, mas nem sempre foi assim,
Antes da idade moderna a morte era considerada como natural.
A morte é um estádo de transição, o verbo morrer só se conjuga uma vez por uma pessoa.
Não enfrentamos a morte de frente, evitamos a morte como evitamos olhar pro sol.
A morte e vida,
morte é passado, vida presente uma linha tenue separa esses dois polos.
um dia vais cruzar.

vazio

Do cão late na rua,
na rua vazia,
escura e fria,
o cão parou de latir,

tantos cães latem,
pra que?´
Pra quem?

Tem dias que só sabemos ouvir os cães nao pensamos em nada.
noites vazias.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

noite

A luz pálida na noite,
me convidava a dormir,
como um besouro atraido para a boca do sapo.
dormir uma boa noite.
boa noite

Macambuzio

Hoje o dia foi tão longo, talvez porque acordei tão cedo ou talvez porque não sai de casa. Senti que estava só, não constumo sentir solidão, mas hoje me sinto só, desolado. Nada me fez senti melhor, mesmo a presença de meus amigos não me trousseram paz.
Agora ouço o silêncio da noite, um frio gostoso me convida para ir pra cama, meus olhos querem cerrar. Minha voz calou, ainda falou palavras de um poema de Camões, mas agora já fechou, quanto tempo ela não balbucia uma oração, talvez seja esse o motivo de minha solidão, minha alma está com fome!
Bem Tudo passa.
Hoje não tive uma noticia que me deixasse feliz.
Na veradade elas só nos aliviam rapidamente, mas nenhuma me fez sorri.
Alguma coisa ruim me aconteceu, será se não sou tão bom?
Por fazer algo tradicional não serei eu capaz?
Minha capacidade de sintese não é muito praticada.

Estou triste por me achar meio perdido, como se estivesse no meio de um texto sem lembrar da introdução nem como terminar o texto.

Tudo vai passar.


It is my wourld and only my ment is possible of know me.

My small wourld it is my life.

domingo, 25 de outubro de 2009

domingado

Despontando o domingo se foi, uma nova semana vem ai.
vou dormir é o melhor que posso fazer.
Nossa está um calor miserável.

Bem mais foi um bom domingo li várias coisas sobre Mozart, Teorias do desenvolvimento ovário em Angiospermas, assisti Don Juam.

Bem como é de fato comum a mim estou sempre monologando, não consigo viver sem monologar, pois na maioria das vezes estou preso aos meus pensamentos peculiares.
Polindo meus ideais.


Hoje de fato foi um bom dia, ajudei a fazer o almoço, fui ao mercado.

sábado, 24 de outubro de 2009

Residência 14

Quando ganhei a moradia, duas semanas após o início das aulas lá pelo dia 23 de agosto fui visitar minha nova morada.
Bem externamente rosa e branco.
Lembro que fui falar com Jairo do 04, mas encontrei o seu primo da história que levou para conhecer o 05, quando chegei lá fiquei realmente com medo, aquele quarto pequeno onde iria passar um bom tempo. Encontrei o Pinto um cambota da engenharia química que não foi muito legal comigo, veio com uma história de pagar uma pizza e varrer o quarto por um mês. Aqui me pareceu muito escroto, bem ainda bem que o Jairo não estava lá, pois ele quem devia assinar o papel de ordem de posse. Não como sería morar no 05, mas o importante é que fui falar com Graça assistente socil que relatou de uma possível vaga no 14 para sorte minha. No 14 conheci o meu melhor amigo Anderson, além dele compunha o quarto Erivaldo de João Câmara da Economia, Felipe de Lages da Zootecnia, Joan de São Vicente da Engenharia Quimica e Jilsão da E. Física.
Menos de um Semestre Felipe engravidou uma menina casou e foi embora. Joan foi numa aventura pra São Paulo assumiu e foi embora. Então Itamar da Física que na época era moleque assumiu a vaga de Felipe, bem Entrou pestana de ouro da fisica amigo de Erivaldo.
Nessa época tudo era novo, estava muito feliz, pois tinha conhecido muitos amigos.
Conversava muito.
Estudava muito...
Ouviamos muito Cambrerie

Lavar roupas

Já faz algum tempo que não lavo roupa na mão, bem nem sempre foi assim, pois durante o tempo que fiz faculdade tinha por obrigação lavar a roupa e aquilo era pra mim excelente. Sim todos os sábados acordava cedo, senão ficaria sem pia pra lavar a roupa. Pegava emprestado o rádio de meu grande amigo Anderson Vinícios toda a roupa e ia pra lavanderia. Bem as possíveis pessoas que poderia costumeriamente era Canidja do 16 rapaz cizudo, muito legal, bem trocavamos algumas idéias, mas ele sempre lavava pouca roupa, e ia fazer compras no hiper. Gostava quando Silvano estava, pois sempre ele conduzia a conversa, me imprecionava sua retórica.
As vezes na época da manga o Gato aparecia pra derrubar algumas mangas. Às vezes encontrava os forrozeiros com aqueles sons maiores ouvindo Mastruz com leite, limão com mel...
Bem a lavanderia era palco de fofocas, onde todos os segredos eram revelados, histórias muito boas, de veteranos e feras.
Uma das primeiras pessoas que encontrei na lavanderia foi Eves, moço católico, aplicado, estudava química depois nos tornamos muito amigos, falavamos sobre as dificuldades e afinidades de curso.
Todos os sábados estava eu lá faça chuva faça sol, as roupas precisavam está limpas e cheirosas, afinal eram poucas roupas.
Lavando roupa numa lavanderia discutia idéias, tinha amigos, colegas prontos pra fazer isso
E era ali que fazia grandes amigos.
Hoje tenho uma máquina, com isso ganhei tempo, mas minhas roupas não são tão bem cuidadas e principalmente não tenho mais os meus amigos pra trocar idéias.
Químicos, Engenheiros, Linguistas...

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

sapiens

É saboroso saber, outro dia estava lendo Nietzsche, ele dizia que Sapiens vem do latim significa saboroso, sempre pensei que fosse sábio, mas pensando bem não tem sabor melhor, que nos deixe mais saciados do que a sensação de conhecimento.
Essa fome de saber insaciável toma conta dos espíritos avidos de desejo de compreender o mundo, essa busca pela verdade que nos excita. São diversas as vias, cada um tem que descobrir a sua melhor via, temos tal sorte e na maioria das vezes disperdiçamos em buscas de prezeres volptuosos, efêmeros; não que não sejam importantes, são sim, porém temos que aprender a buscar por caminhos mais longos, outras formas de prazeres mais duradouros, buscar nossas vias. As vias sensuais nos ensinam mais sobre o mundo do que possamos imaginar. Nunca é tarde para descobrir, portanto ouça, veja, cheire, apaupe e aprenda com o mundo quanto é saboroso aprender a amar o mundo.

vulto

Certo dia estava tão quente que me fez tomar um banho, mesmo já sendo tarde da noite, minha pele parecia arder. Minha garganta não estava sadia e nada me trazia ânimo queria dormir, mas o calor não deixava. Então peguei um livro de Gandhi, li algumas páginas, mas aquilo não estava me agradando. Fui a sala liguei a tv estava passando o Jô estava entrevistando um louco ai qualquer, não dei muita atenção, detesto as piadas do Jô, troquei de canal várias vezes e nada de interessante. Desliguei a tv e fui para o quintal onde tava um fedor de coco de cachorro insuportável, mas o cão era simpático, o estrela, acenava com o rabo pra mim, percebi que estava com fome, pois a tijela de comida estava vazia, pus comida para o coitado.
Repentinamente vi passar um morcego rápido como um ráio quase acertou minha cabeça ao desviar, olhei para o céu que estava belíssimo, estáva pintado de estrelas. essa imagem foi como uma luz no meu cérebro, lembrei de muitas coisas.
essa paisagem onírica, me fez viajar em meus pensamentos. Pensei muito sobre várias coisas vividas, passadas, coisas que poderiam ter dado um outro rumo a minha vida.
E logo tive sono, esqueci o calor, entrei, apaguei a luz e dormi tranquilamente toda a noite.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

fim

E no fim da noite,
os olhos mucham.
good night.

domingos

Quando era crinça lá em serrinha do Canto, antes dos dez anos não tinhas parque pra me divertir, naverdade tudo aquilo era um grande parque. Um parque onde todos conheciam todo mundo. A semana tinha aula então era tranquilo, mas no fim de semana não tinha muito o que fazer.
Serrinha do canto é um pequeno sitio de Serrinha dos Pintos, onde naquela época a casa que concentrava mais moleques, e eu fui um desses, era a casa de Chico de Vicente Joana. Sábado a tarde pedia a mae pra ir pra lá, as vezes ela deixava outras vezes não. Mas os domingos eram sagrados, salvo quando não ia pra casa de meus avôs.
Aos domingos jogavamos bola, brincavamos de gerrear, de fazenda... de fato era muito feliz, ah roubavamos frutas.
A vida era muito monotona, mas maravilhosa.
o tempo passa.

lembranças

A muito tempo atrás acordava cedo, porque precisava buscar água do riacho ou açude pra o consumo da casa. Era minha principal função em lá em casa. Todos os dias com exceção dos domingos, pois colocava água aos sábados à tarde só então podia dormir até mais tarde, mas sempre acordava cedo, pois aos domingos assistia uma missa pela televisão.
Mais logo o domingo passava rápido e novamente caia na rotina de acordar cedo.
Adorava horário de verão pois as aulas teminavam mais com o sol ainda alto, bem aconteceram poucas vezes em minha vida, mas já aconteceu de ser em todo Brasil o horário de verão.
Agora continuo a acordar cedo pra ir trabalhar, acordo tarde no domingo, não vejo mais missa.
Gostava muito de minha routina.
Minha amiga falou que minha vida é uma routina, nunca parei pra pensar, pensando bem adoro rotina.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

noite

Sozinho na rua,
eu caminhava,
era noite escura,
só o vento soava,
estrelas brilhavam,
e a rua vazia,
sem carros,
sem vozes, sem luz,
num silêncio lunar,
a noite caia,
uma hora...
a noite sozinha,
sozinho.

Acordar

Acordo cedo. Adoro acordar cedo, poder ver o sol nascer, ouvir o canto das aves, ver a grama orvalhada, sentir os últimos odores das flores noturnas e caminhar.
Caminhando vejo o aviões cruzando o céu, nuvens carregadas ou simplismente o céu azul.
Caminhando vejo se as ruas estão limpas ou sujas, se tem muita gente ou se não tem ninguêm; posso cumprimentar um outro transeunte. Enquanto caminho ouço no rádio notícia de todos os lugrares. Assim sigo para meu trabalho onde começo muito cedo.
Em harmonia.
Mas esta manhã o dia adiantou uma hora, tudo discorreu mais cedo.
Horário de verão é realmente bom ou ruim só depende de casa pessoa.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

xoxo

Acordei com dor de garganta, nariz congestionado, mal está.
Mesmo assim fui trabalhar.
A manhã foi tranquila, mas a tarde tive uma crise de espirros.
Parecia alergia, pois quando fui a bibioteca pegar um livro logo passou os espirros.
Hoje estou me sentindo cansado.
O dia foi muito grande, porém produtivo.
O almoço foi saboroso.
E eu estou com sono.
Encontrei-me com minha namorada, comemos uma pizza que por sinal estava muito saborosa.
Voltei pra casa onde até quase meia noite e estou em frente ao pc.
pensando algo pra escrever.
dai saiu esse texto xoxo.
boa noite

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O céu limpo todo azul,
como um espelho reflete,
monocromia blue.

resfriado

A água que caiu
sobre o telhado,
não serviu pra esfriar meu corpo,
nem minha mente,
serviu pra me trazer um resfriado.
bem boa noite

Distância não mais

Qual a distância entre mim e tu?
estamos tão distantes e tão próximos,
tão próximos e tão distantes, pois são tantos os canais pelos quais podendos nos conectar. Telefone, celular e internet.
acabaram-se as barreiras das distâncias.
Agora basta sentar, ligar o computador e se conectar com o mundo,
vagar pelos grandes continentes conectados via BBC e CNN.
O mundo está menor.
Hoje mesmo falei com meu amigo lá dos Estados Unidos.
Tenho sempre o cuidado de ouvir os jornais locais via rádio, não posso me conectar ao mundo e desconectar da vida real.

Bem são tantas informações, que se vovó fosse vivo ia ficar louco.
das seis às oito horas me informo sobre o que acontece em Campinas, São Paulo, Brasilia, Honduras, Paris, Inglaterra... é notícia que não acaba mais.
Mas o mais interessante o que me anima é ver como temos políticos brasileiros no congresso.
Bem preciso reclamar de alguem no twitter.
boa noite

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

luta

Cada dia que passa somo mais conhecimento,
sinto pesar tanto tempo de estudo,
chego a ficar mudo,
cansado como um jumento,

caio na cama e durmo,
acordo cedo e coloco minha cangalha,
de volta pra caminhada em busca da sabedoria.

Vagabundo

Quantas vezes acordo feliz, mas tem dias que sinto vontade de ficar dormindo e esquecer tudo que tenho pra fazer. Sinto vontade de largar tudo, esquecer o tempo, deixar de ouvir os radiojornais, ler livros. Deixar de fazer o que mais gosto.

Ser um vagabundo e simplismente vagar pelas praias, pelas ruas, pelas florestas, pelos campos só vivendo.

Ser como o vento ficar pairando pelo mundo, ver e sorrir de todos seres humanos atordoados com seu tempo subjetivo, trabalhando incessantemente para ser o melhor, sem se dar conta que está sendo sugado pela sociedade, pela necessidade de exercer, consumir.

Confesso que tenho que rever meus conceitos de felicidade.

Quantas vezes me sinto feliz ao ouvir o canto do sabiá, como um doce aviso "Eis que o dia já nasceu".

Quantas vezes acordo pensando em tantas coisas que tenho pra fazer e simplismente não sei por onde começar.

Quantos problemas!

Vou fugir dessa vida.

Quero vagar como um vagabundo, um louco, tendo como teto o céu, como casa o mundo, como relógio o sol.

Quantas vezes tenho medo do oculto num dia.

Assim é a vida cheia de altos e baixos.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

drean

Sim somos dois em um ou um em dois,
só sei que sinto falta de ti quanto estais longe,
sinto que estou cansado,
preciso dormir.
vou dormir sonhar com voce.

sério

As vezes precisamos ser sérios para nos levarem a sério, mas nem sempre somos sérios,
nem sempre falamos sério.
O que nos define?

Somos seres humanos inconstantes, porém vivos.

ontem

A água da chuva escorreu rua a baixo,
lavou as calçadas,
regou as plantas.
A água da chuva pingo a pingo,
formou uma enxurada,
inundou a calçada.
Na tarde de ontem caiu um pé dágua.
Sozinho em casa ouvia os pingos ecoarem no telhado.
As ruas vazias,
de gente, carro ou pensamento.
Logo veio a noite,
e se foi a segunda feira.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

balança

Quando uma pessoa adoece,
todos adoecem juntos,
quando uma pessoa está feliz,
todos estão felizes juntos.

quão balança escrota é a vida.

Medo

A noite chega sorrateira,
banhada pelo crepúsculo,
logo torna-se escura e fria.

Sinto que cada dia se torna mais vazia,
ouço ressono, cantos de grilo,
cães latir,
e o ressoar dos carros na avenida,

vejo azul escuro das tvs ligada,
e o que me trazia paz, bons sonhos,
agora me trás solidão,
hoje me tras medo,
A lua está tão fria e companheira,
tenho medo da noite,
tenho medo de minha mente,
da falta de sono,
da insônia.

Essa insônia já não me deixa em paz a mais de um mês.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

vagabundo

Isso que é vida.
Ler Drummond, Luiz Borges e ouvir Bach e
ir dormir cheio de sono, cheio de sono,
Deus abençoe o novo dia.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

assim sou

Quem sou eu?
Aos poucos me defino,
sou porque exito,
existo porque penso,
penso porque ajo,
ajo porque penso,
eu sou o meu começo e meu fim,
parte do mundo,
mundo da parte,
sou um pouco:
de arte, ciência, religião e inteligência,
um pouco de mim,
um pouco de ti,
um pouco de nós,
sou como o vento,
como a água,
sou como o fogo,
como a terra,
sou desejo,
sou vivo,
sou minha representação,
meu mundo sou eu,
até que durma o último sono.

tempo

Quantas coisas vivo em um dia,se fosse listar passaria o dia sem viver.
O importante é que o dia me complementa e na noite posso me refugiar em meu sono, finalmente descançando meu corpo.
Partindo da premissa que o tempo é subjetivo segundo Kant.
Se fossemos deixados em uma floresta ou num deserto, sem relógio, trabalhos ou qualquer tipo de afazeres.
Como nos sentiriamos?
Primeiro sentiriamos o incomodo de está distantes e buscariamos uma forma de nos livrarmos desse ambiente voltarmos a rotina, depois sentiriamos fome.
Estariamos em uma ilha isolada. Então começariamos a tentar sobreviver em busca de alimento. Passado algum tempo, a sede já teria afetado nossos pensamentos.
Sentiriamos necessidades de urinar e evacuar.
Logo que perdessemos as esperanças de voltar novamente à vida real, nesse breve tempo estariamos perdendo a noção de tempo.
Passado primeiro dia, já teriamos aprendido onde tem água, onde tem comida.
Apartir dai começa um processo de auto-análise da vida, muitas das coisas que davamos muito valores, perdeu sentido e agora o que faz sentido é sobreviver.
Criariamos feições boas ou ruins pelo ambiente, mas logo nos acostumariamos.
Passada uma semana, nem lembrariamos mais de email, emprego, pensariamos mais na nossa família.
Passado um mês seriamos perdidas as esperanças, voltariamos a criariamos nossa noção de tempo.
Um dia é tão grande que dar até para projetar como seria se por acoso perdesse nesse dia.

com amor

Quão calma água do lago,
quão sereno o orvalho da manhã,
quão doce o sabor do mel,
quão agradável o perfume da rosa,

assim é o teu beijo,
assim tens o meu desejo,
tão intensamente me vejo,
louco por um só momento,
e solver de teu ser,
um pouco de armonia,
pois me encher de satisfação,
quando te vejo, meu ser de tanta aspiração,
se enche de alegria,

e tu minha musa de poesia,

és meu retrato da magia,

minha vida, minha alegria.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

vida

As flores desabrocham,
mesmo sabendo que irão muchar.
As aves cantam,
mesmo sabendo que seu canto é passageiro.
As borboletas voam por entre as flores e beijam suas pétalas.
Tiram seu nécta e distribui seus pólens.
Os beija-flores beijam as flores, atraído pelas cores.
Besouros beijam as flores a noite enibriado com seus odores.
As Flores desabrocham pra alimentar as borboletas, os beija-flores e os besouros.
A flores ficam coloridas para as borboletas e os beija-flores e a noite se perfumam para os besouros.
A flores vem a beleza interior.
As flores precisam dos beijos da borboleta, do beija-flor e do besouro, para beijar outras flores.
As flores são muito espertas.

As borboletas, antes de serem borboletas são lagartas e se alimentam das plantas mães das flores. As flores são mais importantes que as borboletas?

Os beija-flores adoram néctar das flores, sem querer são escravo das flores,
trabalham sem parar para as flores distribuindo polem em busca de tão pouco mel.

Os besouros comem as flores, ainda bem que comem pouco, as flores espertas são bem suculentas, alimentam os besouros em troca de trabalho...

As flores tão efêmeras dominam os seres não efêmero.

futuro

O que vejo e o que eu sinto,
reconheço, agora imagine o que aconteceria se dormisse por 40 anos.
Imagine o que aconteceria se uma pessoa que morreu na década de sessenta. Como iria reagir ao ver esse mundo futurístico.
Quanta tecnologia, quanta comunicação. Ficaria estarrecida.
Bem mas ao chegar ao centro de uma grande cidade regiria como um louco olhando os belos prédios, as belas roupas.
O que diria da música?
E seria logo assaltado.
O que acontecerá daqui a quarenta anos?
Ainda estaremos vivos?
O que eu vejo e o que eu sinto não terão as mesmas sensações.
eu teria 70 anos,
Boa parte de meus queridos já não existirão.
Isso é fato esse dia virá e eu não sei se estarei vivo.
Mas as comidas não terão mais tanto sabor,
estarei tão próximo do meu fim,
quanto do meu nacimento.
Existir e inexistir qual a diferença?
Não me lembro de nada que antecede meu nascimento e logo se fechará 30 anos.
estou começando a ficar com medo da idade,
que aos poucos toma conta de meu ser,
me definha,
ou natureza perversa.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

flor de caju.

O cheiro da flor do caju me trás boas lembranças,
lembro-me quando criança,
nessa época a vida se enchia de esperança,
logo viria a bonança.
E quando chegava dia da crinça,
minha mãe me dava um brinquedo singelo,
sentia-me tão feliz.
Pleno!
Pois tinha tudo que queria,
um sítio enorme pra correr,
frutas pra chupar,
cachorro, gato, galinhas, vacas e guinés.
Tantos animais.
Minha casa era cheia, minhas irmãs, meus irmãos e meus pais.

Trabalhavamos ajudando papai muito pouco.
Eramos muito unidos, pouco brigavamos.

Lembro de outubro de outros tempos,
década de oitenta e noventa.
Mas o tempo passa e passou,
hoje guardo na lembrança,
vem por outra reacendida pela flor do cajueiro.

tetrico

As coisas não estão muito boas ultimamente, pois há um histórico triste de patologia em minha família.
Nossos animos não estão muito altos, pois meu tio está com CA. meu pai está meio triste.
Mamãe anda meio triste por está tanto tempo se tratando de problemas renais.
Bem vamos driblando essas situações desconfortáveis, vamos superar tudo isso.


Quando estamos tristes,
não vemos beleza em viver,
não vemos beleza nas cores,
os cheiros perdem o seu sentido.

A vida continua, a vida é contínua e precisamos sobreviver.

domingo, 4 de outubro de 2009

Natureza

Que delícia entrar na floresta,
poder sentir a energia das árvores,
as sombra das folhas,
oculto os animais entre troncos e serrapilheiras.
Podemos ver muitas coisas interessantes.
Adoro entrar na floresta ficar estudando sua composição vegetal.
Decifrando os códigos das árvores.
São um verdadeiro arrando de quebra-cabeça,onde as peças são as estruturas vegetativas ou reprodutivas, e me perguntas como assim.
Cada planta apresenta uma forma, e esta forma se prestar atenção pode ser semelhante a outros indivíduos. Sendo estas semelhantes começaremos ai a agrupa-las segundo essa forma e teremos ai um sistema de classificação.
podemos agrupar pelo cheiro de seu tronco,
as formas dos caules, das folhas e frutos.

O que me chama mais atenção é a diversidade de formas, produção de matéria organica, ciclagem de nutrientes, microfauna.

A natureza por si.

Luz

Luz branca,
escuro,
luz amarela,
luz branca,
sempre bela,
a luz,
no escuro não a coisa mais bela,
o que á luz?
A luz ondas,
a luz saber,
a luz no fim do túnel.
luz subjetiva,
cada um com sua luz,
cada um com sua cruz,
luz branca,
amarela,
bela.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Rio 2016

Silêncio!!!
São 13:48h e o laboratório está quase vazio.
Dia 02 de outubro de 2009.
O rádio anunciará em instantes quem sediará a olimpiada em 2016.
O jornalista está eufórico, conversa com os colunistas, comentaristas que estão nas ruas caricas ou em Copenhague.
Toda minha atenção está voltada para o rádio.
No laboratório onde faço minha pesquisa está quase vazio, pois é sexta-feira, neste dia quase todo mundo viaja.
Bem as pessoas aqui estão simplismente trabalhando.
E eu eufórico os segundos passa...
Então Sardemberg anuncia: é agora que o presidente do comiter vai revelar qual será a sede.
Pegou o cartão, abriu, sorriu e anuncia:
- A cidade que sediará as olimpiadas é RIO DE JANEIRO.
solto um grito de tanta euforia, numa explosão de alegruia que não imagiei que teria.
Fui contagiado pelos jornalistas e por meu patriotismo.
Mudei de estação e todos felizes, eu também dai a tarde foi só alegria.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

O novo

O que agrada ou desagrada?
Ouves pela primeira vez uma música e o que pensas?
Antes de mais nada ela pode ser agradável ou desagradável, dependendo de suas experiências anteriores se tu associares a algo bom irás gostar, caso contrário não gostará.
Mas qual a mágica em conquistar uma massa de pessoas?
Se somos tão diferentes, o que poderia agradar a todos? qual bom seria algo pra ser aprovado por todos, pelo menos a maioria?
Talvez pare de ler esse texto, nem sequer tenha chegado aqui, mas estou lhes atentando ou questionando voce, incitando-o a pensar.
Será que são necessárias memórias para avaliarmos se algo é bom ou ruim,
precismos comparar para dizer isso é bom ou ruim ou simplismente tem algo que é bom e algo que é ruim?
As vezes começamos a gostar de algo quando iniciamos a compreender este algo novo.
Mas o compreender não seria avaliar, comparar?
Bem as vezes pensar provoca em nos um certo desconforto, quer queiramos ou não o ato de pensar é uma avaliação, geralmente quando não temos alicerce para avaliar ai a situação complica, preferimos fugir, mudar de assunto, rejeitar.

Mas nem sempre acontece dessa maneira, pois há formas de avaliarmos, compararmos, desde que esse novo traga em si uma linha de raciocínio, algo que faça por sir só criar uma lógica, que nos incita a pensar e por fim tirar uma conclusão, e nos deixarmos feliz.
Precisamos descobrir que linha racional é essa, bem surgiro veja sempre busque só mais um pouco, experimente, com cuidado, pois estará sujeita a ver o mundo de uma nova maneira.
O novo pode ser bom ou ruim, mas é voce quem vai dizer, visto que na vida,
quase tudo é muito subjetivo.